Skip to main content

África do Sul passa os 30 milhões

Mas números de telemóveis são polémicos.

Os três operadores de redes móveis de telecomunicações da África do Sul afirmaram ter atingido, no seu conjunto, 30,2 milhões de utilizadores de telemóveis, graças sobretudo ao aumento de novos contratos no Natal.

A Vodacom anunciou ter aumentado em 1,1 milhões o seu número de clientes durante o mês de Dezembro de 2005, tendo neste momento 17,5 milhões de números atribuídos no mercado sul-africano; o segundo maior operador, a MTN, tinha 8,7 milhões de ligações em Setembro do ano passado e atingiu, no fim de Dezembro, os 10 milhões de clientes; e a Cell C, que ainda não divulgou os seus números do mesmo período, tem 2,7 milhões de contratos.

Arthur Goldstuck, director de pesquisa da World Wide Worx, especializada em estudos de mercado, mostrou-se convencido de que cerca de um terço dos novos números atribuídos durante o mês de Dezembro deverão ter sido comprados por clientes que já tinham telemóveis, mas que adquiriram kits a preços de desconto com que os operadores brindaram os consumidores durante o período festivo, tendo assim mudado de número.

Goldstuck refere que, depois de uma análise ao mercado durante aquele período, verificou que muitos utilizadores perceberam que os preços das chamadas incluídas nos kits em desconto eram substancialmente mais baratos, circunstância que os terá levado a mudar de número.

O analista salienta que os operadores de telecomunicações móveis não estão a revelar a verdadeira realidade do sector e que deveriam divulgar também quantos números que deixaram de estar activos ao longo dos meses.

De qualquer forma, o período natalício foi altamente lucrativo para as telecomunicações móveis, com a MTN a afirmar terem sido enviados da sua rede, durante as duas semanas que incluem o Natal e Ano Novo, 60 milhões de SMS, o que equivale a um aumento de 36 milhões relativamente a igual período do ano transacto.

Por seu turno, a Cell C reclama ter registado 5 milhões de SMS na véspera de Natal e 7 milhões no dia 31 de Dezembro, enquanto o maior operador, Vodacom, não divulgou ainda os seus números relativos à quadra festiva.

«Preços obscenos»

Os operadores de telefonia móvel estão neste momento sob investigação por parte da Autoridade Independente das Comunicações da África do Sul (Icasa), na sequência de uma queixa apresentada no ano passado pelo grupo de consumidores Associação de Utilizadores de Comunicações, com base naquilo que classificam como «o preço obsceno das tarifas móveis» no país.

Apesar de ser o segundo maior operador de rede móvel na África do Sul, a MTN é o maior operador do continente africano e pondera adquirir participações na terceira rede celular do Egipto e na Tunisie Telecom da Tunísia.

O único operador de comunicações fixas, a Telkom, está também sob investigação e intensa pressão do governo e grupos de interesses devido às altas tarifas praticadas.