Anjo da guarda de menores

A Alcatel desenvolveu um sistema de vigilância para menores, baseado na monitorização de sistema de telemóveis.

À semelhança do serviço FrotaLink, já comercializado pela TMN, os pais apenas precisam de seguir o caminho que os filhos utilizam para chegar de casa à escola e vice-versa, com mapeamento fornecido de três em três minutos. Ou, caso seja preferível, marcar pontos de passagem que podem ser pré-definidos até dez – checkpoints – por cada quilómetro e meio de percurso, ou até menos.

O sistema está programado para que seja enviado um SMS à origem assim que o terminal monitorizado chega ao local de destino são e salvo. Mas este sistema não reune consenso nos jovens vigiados. “Tivemos reacções bastante negativas de alguns adolescentes, que se recusam a ser policiados deste forma”, admitiu George Demathieu, administrador de gestão de negócios da Alcatel.

Por essa razão, os responsáveis pela marca francesa aconselham a que o sistema seja aplicado em crianças na faixa etária entre os oito e os 12 anos de idade. “Nessas idades, os míudos estão mais receptivos à ideia, uma vez que se sentem mais próximos dos pais”, concluiu o mesmo director.

Segundo a BBC Online, também os próprios pais mostram-se dividos quanto à filosofia do sistema. Uns sentem-se mais seguros por terem a certeza que tudo corre bem no caminho para a escola. Outros não admitem a possibilidade de controlar dessa forma a vida dos filhos.

Como todas as soluções, esta também não é milagrosa e não será pelo utilização do “Guardian Angel” que deixarão de haver raptos de menores. É que o sistema só funciona se o telemóvel estiver ligado e se for transportado pelo seu legítimo proprietário. A Alcatel supõe que este sistema terá boa recepção em Israel, dada a crescente preocupação dos pais em relação aos seus filhos, pelo constante medo das bombas suicidas e dos ataques terroristas. Ainda não houve ensaios comercais, mas a Alcatel afirma estar pronta para comercializar o produto à escala mundial.