Antenas de UMTS podem causar dores de cabeça e náuseas

Um estudo dirigido por três ministérios holandeses comparou o impacto das radições das antenas GSM com as de UMTS, e concluiu que as últimas emitem numa frequência mais alta.

O estudo, o primeiro deste tipo, comparou o impacto das radiações emitidas pelas habituais antenas de telefonia móvel (GSM) e pelas estações da nova rede. O UMTS, que entre outros aspectos permitirá uma transferência constante de dados e vídeo, transmite os seus sinais numa frequência mais elevada. As estações base, que cobrem geralmente uma área de escassos quilómetros quadrados, transmitem sinais aos móveis mediante uma radiação electromagnética. «Nos testes, quem esteve exposto aos sinais da estação de 3G notava um zumbido nos ouvidos, tinham dores de cabeça e sentiam náuseas», afirmou um porta-voz do Ministério de Economia holandês. Não houve qualquer impacto negativo com os sinais da actual rede de telefonia móvel. Apesar destes sintomas, as funções cognitivas, como a memória e o tempo de reacção, aumentaram tanto com as radiações emitidas pelas antenas GSM como com as estações base de 3G. As pessoas mostraram-se mais alertas quando estiveram expostas a ambos os tipos de radiação. Os ministros de Economia, Saúde e Telecomunicações disseram ser necessário confirmar os resultados e determinar os possíveis efectos. O porta-voz afirmou ainda que o estudo também será analisado pela Comissão Europeia. As investigações anteriores sobre o impacto dos telemóveis e das antenas na saúde pública foram pouco conclusivos. Parece haver um impacto ao nível das funções cognitivas, mas está menos claro que as radiações provoquem alterações no ADN ou tumores cerebrais. Resta agora esperar pelo estudo coordenado pela Agência Internacional para a Investigação do Cancro, o qual só será publicado em 2004.