Nokia: qual a sua appitype?

As aplicações estão cada vez mais presentes. com os downloads a crescerem diariamente. Mas o que é que as aplicações dizem de cada um de nós? A Nokia procurou responder a esta questão realizando um estudo, em Novembro de 2010, que envolveu mais de 5000 indivíduos em 10 países diferentes.

A Nokia colaborou com Trevor Pinch, sociólogo e professor de Ciência e Estudos Tecnolólicos na Universidade Cornell, Nova Iorque, analisando o comportamento de mais de 5 mil utilizadores de smartphones em 10 países, de forma a perceber como é que as aplicações estão a alterar a vida dos seus utilizadores – e o que revelam essas modificações sobre as suas personalidades.

A procura de aplicações cresce à medida que os utilizadores se tornam mais dependentes da tecnologia. Elas podem ajudar-nos em tudo o que fazemos e, por isso, vieram para ficar. Todos nós as utilizamos, seja para descobrir a gorjeta adequada para deixar num restaurante ou para encontrar o hotel mais próximo num festival de música, refere a Nokia em comunicado. De acordo com o estudo, o mais interessante está no tipo de utilização que damos às aplicações, que vem dizer muito sobre os utilizadores.

Para o professor, os utilizadores tornaram-se dependentes das aplicações, que se tornaram indissociáveis do actual estilo de vida que levamos. Mais que entretenimento, as aplicações representam hoje necessidades, características de personalidade e interesses únicos. Podemos aprender muito acerca do comportamento de uma pessoa utilizando o seu leque de aplicações, as variações de personalidade, as variáveis de utilização ou as competências, refere a Nokia.

De acordo com o estudo realizado, 55% dos utilizadores de smartphones acreditam que as aplicações representam um benefício real para as suas vidas: quer se encontrem em casa (33%), em viagem (19%) ou no trabalho (13%). A mesma pesquisa revela ainda que o mais importante para os utilizadores não é o número de aplicações que têm, mas a utilidade das que possuem: mais de 70% admite ter até 30 aplicações no seu dispositivo, dos quais 20% apagam todas as aplicações que são semelhantes, se encontrarem uma com melhor desempenho.

O estudo sublinha ainda que a utilização que damos às aplicações não revela apenas traços de personalidade, mas fornece igualmente algumas dicas sobre o país e nacionalidade a que pertencemos: a título de exemplo, na Índia os utilizadores têm preferência por aplicações empresariais, enquanto que no Brasil os utilizadores tendem a ser fãs de ritmos musicais – 42% dos consumidores brasileiros descarregam aplicações relacionadas com a música.

Appitypes: a que tipo de utilizador pertence?

Trevor Pitch fez um resumo dos vários tipos de personalidades dos utilizadores e distribuiu-os por seis categorias principais, denominando-as appitypes. Dos enérgicos aos mais apaixonados, passando pelos mais sensíveis, todas elas estão relacionadas com a forma como as pessoas utilizam as aplicações.

Appthusiasts – Os entusiastas das aplicações são enérgicos e apaixonados. São indivíduos sociais que gostam de ficar a par das últimas tendências. São utilizadores curiosos, espontâneos e gostam de se envolver em várias actividades em simultâneo.

Appcentrics – Estes utilizadores são trabalhadores, enérgicos e produtivos. Dispõem de muitos contactos, sabem como criar a sua própria tecnologia, colocando-a ao dispor dos seus próprios interesses. São convencionais e preferem a gestão de dados e as actividades organizacionais e numéricas.

Live Wires – Os Live Wires são activos, realistas e valorizam as capacidades técnicas, atléticas e as actividades de exterior. Inteligentes e curiosos, são sociáveis, têm muitos amigos e procuram frequentemente novas experiências e aventuras. São amantes de desafios.

Creators – Estes são utilizadores criativos e cheios de imaginação. Podem assumir o papel de individualistas ou de jogadores de equipa mas quando socializam assumem muitas vezes o protagonismo. São contadores de histórias natos que não se ficam pelas capacidades criativas dos seus telemóveis, usando muitas vezes também as redes sociais.

Connectors – Os Connectors são bem-parecidos, confiantes e curiosos. São motivados e dispõem de uma habilidade extraordinária para fazer novas amizades e conhecimentos no mundo real ou online. Possuem uma colecção de aplicações que usam vezes sem conta, transportando muitas vezes nos seus dispositivos aplicações divertidas e outras que podem ser úteis aos que os rodeiam.

Apprentices – Os aprendizes são utilizadores sensíveis, bondosos e independentes. Têm personalidade de investigadores e são inteligentes, rodeando-se de um circuito restrito de amigos e interesses. Motiva-os o download de aplicações mas não sabem por onde começar.

Para saber qual o seu tipo de Appitype basta aceder à página do Blog OVI e fazer o quizz. Os resultados poderão ajudá-lo a esclarecer-se, dizendo a que tipo de Appitype pertence.