NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Google AdSense para o iPhone

Google AdSense para o iPhone

quinta-feira, 09 julho, 2009 /
Duas semanas depois do comunicado do Google que iria abrir o AdSense para telemóveis, servindo-se texto e exibir anúncios dentro de aplicações, há ainda um grande esforço a ser feito para atrair os grandes anunciantes, pois as experiências até agora não tem sido as melhores para utilizadores móveis.
Equipamentos como o dib - Difusor de Informação Bluetooth, que permitem a comunicação directa com consumidores numa determinada zona geográfica, Sistemas de envio de SMS e diversas campanhas que embarquem linguagens e gestos simples são, cada vez mais, os preferidos dos anunciantes. Vamos ver se o Google acompanha a tendencia, a intenção é boa, mas falta ainda trabalhar um bocado.
Duas semanas depois do comunicado do Google que iria abrir o AdSense para telemóveis, servindo-se texto e exibir anúncios dentro de aplicações, há ainda um grande esforço a ser feito para atrair os grandes anunciantes, pois as experiências até agora não tem sido as melhores para utilizadores móveis.
Os anúncios utilizados tem sido os mesmo que para a web, ora as landing pages não estão optimizadas para os pequenos ecrans dos telemóveis, ou seja, não fazem sentido... estes pequenos anúncios de web móvel e no interior aplicações construídas para o iPhone e G1 Android parecem construídas para o desktop da web e não se traduz necessariamente ao pequeno ecrã.

O Google não se pode dar ao luxo de ignorar os telemóveis, por exemplo, prevê-se que nos Estados Unidos, já em 2010 sejam o principal acesso à Internet.

Os telemóveis superam os computadores em 3 para 1. A taxa de penetração dos smart-phones é de 18% mas um estudo recente refere que 40% dos utilizadores «normais» pretendem adquiriri um smart-phone no próximo ano.

Isso significa telefones inteligentes, que têm maior envolvimento com o seu utilizador, muito mais tempo de uso, muito provávelmente irá superar o uso de computadores... Isto significa que cada anunciante, cada negócio, terá que incluir na sua estratégia global de comunicação a vertente móvel. E se ainda se lembram de terem ficado para trás na Web, não me parece seguro ficarem para trás no mobile.

Equipamentos como o dib - Difusor de Informação Bluetooth, que permitem a comunicação directa com consumidores numa determinada zona geográfica, Sistemas de envio de SMS e diversas campanhas que embarquem linguagens e gestos simples são, cada vez mais, os preferidos dos anunciantes. Vamos ver se o Google acompanha a tendencia, a intenção é boa, mas falta ainda trabalhar um bocado.

9 de Julho de 2009
Cristina Brites

4,421