Apritel quer união nas redes

Nova empresa ou agrupamento

«Esta é uma solução que vai permitir chegar com a fibra óptica a 80% dos portugueses num prazo inferior a cinco anos e que recolocaria Portugal à frente da Europa», afirmou hoje Luís Reis, presidente da Associação dos Operadores de Telecomunicações (Apritel).

O responsável adiantou que, através da criação desta empresa ou agrupamento de empresas, «poderiam entrar os operadores que estivessem interessados em participar [no investimento das redes de nova geração], incluindo o operador incumbente», admitindo também «a participação de organismos públicos».

De acordo com a Apritel, esta solução tem cinco grandes vantagens: com o investimento, ou seja, permitirá canalizar importantes somas para garantir investimento nas redes de fibra óptica de forma rápida, a criação de emprego, além de garantir à concorrência uma regulação previsível e evitar investimento sem desperdício.