• Início
  • Social Media
  • As Empresas PT introduzem com sucesso o novo Plano Nacional de Numeração

As Empresas PT introduzem com sucesso o novo Plano Nacional de Numeração

A PT comunica que a implementação do novo Plano Nacional de Numeração, que teve lugar na madrugada do passado dia 31 de Outubro, foi bem sucedida em todas empresas do Grupo PT envolvidas na operação.

«Lisboa, Portugal, 4 de Novembro de 1999 – A Portugal Telecom (BVL: PTCO.IN; NYSE: PT) comunica que a implementação do novo Plano Nacional de Numeração, que teve lugar na madrugada do passado dia 31 de Outubro, foi bem sucedida em todas empresas do Grupo PT envolvidas na operação. Tendo em conta a dimensão e complexidade desta mudança, considerada pelo Instituto das Comunicações de Portugal, entidade responsável pela definição do novo Plano, como uma operação inédita a nível mundial, o êxito generalizado suplantou as expectativas mais optimistas. Este sucesso confirma a elevada capacidade organizativa e técnica em todas as áreas onde este processo teve impacto: engenharia e operações, sistemas de informação, atendimento e apoio ao cliente. O empenho e dedicação demonstrados por todos os profissionais envolvidos mostra como a PT dispõe de um corpo de colaboradores com elevada preparação técnica e capaz de responder positivamente aos desafios mais exigentes. Por outro lado, a rápida adesão dos nossos clientes às novas formas de marcação veio confirmar a adequação da estratégia de comunicação adoptada a qual, além de apoiar as acções desenvolvidas pelo próprio Instituto da Comunicações de Portugal, privilegiou a comunicação directa com todos os clientes, fortes campanhas publicitárias no nosso país e no estrangeiro, e uma relação de grande transparência com os meios de comunicação social que puderam acompanhar o evoluir de toda a manobra. Os indicadores de que dispomos quer no que diz respeito à performance das nossas redes quer no que se refere ao comportamento dos clientes nacionais e correspondentes estrangeiros são esclarecedores: · Durante a manobra de mudança de numeração, nenhuma das 260 centrais de comutação que integram a rede fixa PT teve corte de tráfego, mantendo-se as ligações telefónicas que tinham sido estabelecidas antes no início da manobra; o mesmo se verificou nas centrais de comutação da rede móvel TMN. · No dia 31 de Outubro, domingo, 38% das chamadas internacionais de entrada era já segundo o novo Plano Nacional de Numeração (apesar de até 6 de Janeiro de 2000 e por decisão do ICP, existir “paralelismo” de marcações segundo o plano “antigo” e o novo). · Ainda no Domingo, a rede fixa suportou, em média, cerca de mais de 25-35% de chamadas que as verificadas em período homólogo do Domingo anterior, dia 24 de Outubro; a eficácia das chamadas (chamadas com resposta vs total de chamadas) desceu, em média, apenas 5-8% relativamente à situação em período homólogo no Domingo anterior; entretanto, a eficiência média da rede fixa situava-se nos 99%, valor normal em redes tecnologicamente avançadas. · Na 2ª Feira, dia 1 de Novembro, o número de chamadas foi próximo do verificado no dia 31 de Outubro, sendo que a sua eficácia esteve já dentro dos padrões normais (i.e., sem o decréscimo verificado no dia anterior). · Na 3ª Feira, primeiro dia útil a seguir ao fim de semana prolongado, verificou-se que o tráfego na rede apresentava um perfil normal, encontrando-se a taxa de eficiência de chamadas perfeitamente dentro dos padrões de dia útil. · Durante o período de 30 de Outubro a 2 de Novembro, o serviço criado pela PT para obtenção de informações sobre a alteração de numeração – 155 -, não teve qualquer congestionamento no acesso, apesar de o número de solicitações ser muito elevado: cerca de 40.000 chamadas no dia anterior à operação, chegando às 170.000 chamadas no dia 2 de Novembro. Também durante este período, não se verificaram quaisquer dificuldades no acesso, via rede fixa, aos serviços de emergência (112 e 117), não havendo igualmente a registar, ao nível do registo de avarias comunicadas por cliente, acréscimos relevantes no número de solicitações, sendo que apenas 15% das chamadas entradas reportavam dificuldades correlacionáveis com a mudança de numeração, sendo a grande maioria devida a má programação de equipamentos de fax e de re-encaminhamentos de chamadas ainda não alterados para o novo plano de numeração.»