As telecomunicações irão resistir à crise

Serviços de Nova Geração: Inovação nos Serviços Públicos, nas Empresas e nas Comunidades revelado pela APDC e mostrado aqui.

Foram apresentados, a 7 e 8 de Julho, no âmbito do evento Predictions & Broadband Summit (Serviços de Nova Geração: Inovação nos Serviços Públicos, nas Empresas e nas Comunidades), promovido pela Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), a segunda edição do estudo TMT Predictions – Portugal 2009/2010, da autoria da Deloitte em conjunto com a APDC, bem como o estudo encomendado pela APDC ao Boston Consulting Group (BCG) sobre “O Impacto Económico e Social das Redes de Alta Velocidade de Próxima Geração – Recuperação Através da Inovação”.

No primeiro estudo, que agrega 17 previsões para o mercado nacional com incidência nas áreas da tecnologia, média e telecomunicações (TMT) em Portugal, conclui-se que as telecomunicações irão resistir à crise, que o modelo de negócio dos média tenderá a alterar-se radicalmente e que os portugueses irão ter novas experiências com o seu televisor em casa. O trabalho teve como base respostas a um conjunto de questões e reuniões presenciais, com o objectivo de sondar a visão sobre o futuro das TMT em Portugal e a sua convergência com as tendências internacionais, identificadas no estudo anual da Deloitte ”TMT Predictions”.

Já o segundo estudo, cuja versão final só será apresentada em Setembro, aborda o potencial económico directo e indirecto das redes de nova geração, também no tocante à criação de postos de trabalho. De acordo com a apresentação, a alta velocidade terá uma maior incidência nos sectores da saúde e assistência social (38% do total), mobilidade e logística (20% do total) e segurança e justiça (15%).