Assembleia Geral Extraordinária da Portugal Telecom

Aprovada a criação, pela Portugal Telecom, S.A., de uma sociedade gestora de participações sociais – a PT Investimentos S.G.P.S., S.A..

«Aprovada a criação, pela Portugal Telecom, S.A., de uma sociedade gestora de participações sociais – a PT Investimentos S.G.P.S., S.A.. Lisboa, Portugal, 27 de Setembro de 1999 – Realizou-se hoje uma Assembleia Geral Extraordinária da Portugal Telecom (BVL: PTCO.IN; NYSE: PT), tendo sido aprovadas todas as propostas da ordem de trabalhos. No âmbito da reorganização do Grupo PT, foi aprovada a constituição, pela Portugal Telecom, S.A., de uma sociedade gestora de participações sociais por entrada de activos, mediante o destaque para essa sociedade das participações sociais detidas pela Portugal Telecom, S.A. noutras sociedades. O processo de reorganização será constituído por diversas fases. A criação da holding agora aprovada, a PT Investimentos S.G.P.S., S.A., faz parte da primeira fase do processo de reorganização do grupo. A estrutura final que se pretende atingir terá no topo do Grupo PT uma sociedade gestora de participações sociais, a Portugal Telecom, S.G.P.S., S.A., como titular de todas as participações do grupo, incluindo a que passará a desenvolver a actividade operacional da rede fixa de telecomunicações que actualmente compete à Portugal Telecom, S.A.. Com a reestruturação pretende-se assegurar a competitividade do Grupo PT quer a nível nacional quer internacional, permitindo uma gestão dos negócios de forma diferenciada e adaptada às necessidades dos clientes, e criar responsabilização diversificada sobre os mesmos. A Assembleia Geral aprovou ainda a criação e implementação de um novo plano de opção de compra de acções representativas do capital social da PT. O plano, constituído por dois sistemas – o de opções e o de acções – inclui a atribuição de direitos de aquisição, em condições vantajosas, de acções representativas do capital social da PT e abrangerá titulares dos Conselhos de Administração e quadros superiores de empresas da PT que o Conselho de Administração eleja como constituindo quadros de grande relevância para estas empresas. O plano concretizar-se-á faseadamente durante um período de 5 anos, sendo os beneficiários designados em função do cumprimento de determinados padrões de desempenho na prestação laboral. Por último, os accionistas aprovaram a ratificação da cooptação do Dr. Almerindo da Silva Marques, em substituição do Dr. Mário José de Matos Valadas, como Administrador não executivo da Portugal Telecom S.A. para completar o mandato 1997/1999.»