Brasil: rede 4G mais barata aumentaria investimentos

Telefónica diz que licença 4G mais barata aumentaria investimentos. Empresa prevê investimentos no valor de 4,2 mil milhões de euros até 2014.

Brasil: rede 4G mais barata aumentaria investimentos

António Carlos Valente, presidente da Telefónica, operadora móvel no Brasil, disse que «o Governo deveria reduzir os valores das licenças para a tecnologia 4G de forma a não comprometer os investimentos das operadoras móveis que ainda precisam de ampliar a cobertura».

O plano de investimentos da Telefónica prevê gastos no valor de 24 mil milhões de reais, cerca de 4,2 mil milhões de euros, entre 2011 e 2014.

O leilão da tecnologia 4G no Brasil está marcado para o segundo trimestre de 2012, mais concretamente Abril, mas algumas empresas de telecomunicações defendem o seu adiamento. António Carlos Vicente diz que «nós, na Telefónica, defendemos uma conciliação dessa oferta de forma que não prejudique os investimentos».

A cobertura 4G é um compromisso do governo de Dilma Roussef com a FIFA para que o serviço esteja disponível ainda antes do Campeonato do Mundo de Futebol 2014. O presidente da Telefónica defende que  o governo brasileiro devia oferecer frequências mais baixas para facilitar soluções tecnológicas e de engenharia.

As frequência são de 2.5 GHz nas cidades grandes e com elevada densidade populacional, quando, de acordo com António Calos Valente, deviam ser de 700 MHz: «todos querem as frequencias mais baixas porque abrangem áreas maiores e têm menores custos».