British Telecom e AT&T a arder

Fim da Concert obriga a arcar com biliões de prejuízo…

A British Telecom e a AT&T anunciaram ir pôr fim à Concert, uma joint-venture comum com apenas dois anos de vida. Com tal medida as empresas terão de suportar prejuízos brutais acima dos 5 biliões de dólares.

Serão igualmente despedidos 2300 trabalhadores, de uma força de trabalho total de 6300, sendo os demais integrados nas empresas mãe.

Curiosamente esta opção – esperada há algum tempo – foi bem acolhida pelo mercado. As acções da BT estavam hoje em subida. Em contrapartida, no macro-espectro, os analistas equivalem a retracção da BT à admissão da impossibilidade da empresa em se transformar num operador global.

A Concert pretendia fornecer serviços de telecomunicações a companhias multinacionais de forma integrada. O seu falhanço comercial era evidente de há meses a esta parte tendo-se arrastado as negociações para lhe pôr termo.

Agora a AT&T, o primeiro operador americano no volume de chamadas internacionais, anunciou que vai arcar com uma factura de 3.5 biliões de prejuízo, sobrando 1.7 biliões para a BT – que só não é mais prejudicada em virtude de um acordo de retoma da sua quota na AT&T canadiana.