E-mail móvel não é popular

Um estudo do Yankee Group revelou que a troca de e-mails via telemóvel nunca irá atingir as mesmas proporções que na Internet.

Segundo as explicações do Yankee Group, isto verifica-se porque o tráfego de correio electrónico através de redes móveis apresenta, ainda, muito poucos benefícios, sobretudo em contextos locais, isto é, dentro da área habitual de utilização. Excepção feita nas deslocações ao estrangeiro, onde o serviço parece ser usado em maior número de vezes.

O estudo revelou ainda que o e-mail móvel é uma das formas de comunicação mais dispendiosas, quando comparado com SMS, MMS, voz ou outro tipo de tráfego de informação, embora aqui o tarifário varie de operadora para operadora.

Todos estes argumentos reforçam as conclusões finais do relatório do Yankee Group, em que é apontada uma projecção, no mínimo arrasadora: apenas cinco por cento dos europeus ocidentais a trabalhar a tempo inteiro irão recorrer a soluções de e-mail móvel… em 2007. «O diagnóstico final quanto ao conceito de e-mail móvel é que a maioria das pessoas não exerce funções que necessitem de acesso móvel e imediato à conta de correio electrónico», explicou Farid Yanus, analista sénior do Yankee Group Wireless/Mobile na Europa, que acrescentou: «Os serviços de voz são sempre uma opção, especialmente quando os documentos não podem ser vistos, tratados ou criados».