Skip to main content

E se o Android permitisse à Samsung comprar a Google?

Android concede mais lucros a Samsung que a Google, de acordo com dados da Asymco, que coloca a seguinte questão: e se o Android permitisse à Samsung comprar a Google?

O segmento dos smartphones pode não estar a ser lucrativo para todos, mas há casos excepcionais como o da Samsung. Horace Dediu, da Asymco, disponibilizou um gráfico onde compara os lucros obtidos pela Samsung na venda de smartphones com os lucros da Google, obtidos com o total de operações da empresa norte-americana.

A tendência revela lucros astronómicos para a fabricante sul-coreana, que apresenta uma tendência para vir a obter, só com a venda de smartphones, o dobro dos lucros que a Google obtém no total de todas as suas áreas de negócio. Não deixa de ser curioso, contudo, observar que é com o Android que a Samsung mais lucra – ou seja, o sistema operativo da Google.

E se o Android permitisse à Samsung comprar a Google?

Bastaram apenas dois anos para a Samsung destronar a Nokia e passar a ser a maior fabricante de smartphones do mundo, além de actualmente ser a empresa que mais lucra neste sector. De uma média de vendas pouco significativa, a Samsung conseguiu atingir aproximadamente uma média de 50 milhões de unidades vendidas por trimestre fiscal.

E o que é que isto significa? Essencialmente, que a Samsung representa cerca de 40% de toda a indústria dos smartphones – um sucesso que pode ser explicado pela aposta diversificada da Samsung, que vende desde telemóveis tradicionais, passando por smartphones de baixa gama até equipamentos de última geração.

E se o Andriod permitisse à Samsung comprar a Google?

Em termos comparativos, em 2010 só 3% de todos os telemóveis vendidos pela Samsung é que eram smartphones – no último trimestre essa percentagem subiu para 54%. Isto traduziu-se num impacto muito positivo para as margens de lucro da empresa do Galaxy, que passaram de 12% para 21%.

Também o volume de vendas subiu de 64 milhões de unidades por trimestre para mas de 100 milhões – estando a lucrar ainda mais do que a Nokia alguma vez conseguiu durante a sua liderança de 14 anos no mercado. O responsável? Dediu põe as ‘culpas’ no Android da gigante norte-americana, tendo a ascensão da fabricante sul-coreana coincidido com o timming da sua adopção do Android. Dediu vai mais longe e refere o lançamento do primeiro Samsung Galaxy, em Junho de 2010, como um dos eventos mais decisivos e marcantes na história da empresa.

E se o Android permitisse à Samsung comprar a Google?

É claro que estas observações não significam que o sucesso será permanente, ou sequer sustentável – mas são indicativos de toda uma indústria gerada, não só graças ao segmento mobile, mas também ao Android. Dediu coloca outras questões interessantes, tais como o porquê de a Google não ser melhor sucedida com o seu próprio sistema operativo. Ou a Motorola. E coloca ainda uma interessante perspectiva em análise – e se o rumo se invertesse, e graças ao Android a Samsung acabasse por adquirir a Google? Dá que pensar.

O que acham os leitores? Colocam sequer essa hipótese em causa? Ou pensam que é uma probabilidade cada vez mais real? Deixem-nos o vosso feedback!