Entrevista com Pedro Soares dos Reis (Motorola)

Pedro Soares dos Reis, Marketing Manager da Motorola Portugal, falou ao Telemoveis.com sobre a forma como o fabricante vê o estado actual e futuro do mercado das telecomunicações em Portugal. E não só…

Nome: Pedro Soares dos Reis
Naturalidade: Lisboa, Portugal
Habilitações literárias: Pós Graduação em Marketing pela Universidade Católica Portuguesa
Primeiro emprego e percurso profissional até à actualidade: Trade Marketing Manager da Motorola Portugal; Marketing Manager da Motorola Portugal
Hobbies: Mergulho; Futebol; Cinema e Leitura
 

Telemoveis.com: Como caracteriza o actual estado do mercado de telecomunicações em Portugal?

Pedro Soares dos Reis: Ao contrário de grande parte dos países europeus, em que o mercado de telecomunicações está ainda em franca expansão, em Portugal o cenário é o de um mercado bem amadurecido e experimentado no que toca às soluções de comunicações. Desta forma, é de notar que o consumidor português seja crescentemente mais exigente e consciencioso das escolhas que faz e, necessariamente, que os serviços e produtos disponíveis sejam também a correspondência do que procuram. As premissas referidas acima deixam assim entender que o nosso mercado é bastante dinâmico e competitivo, visto o grau de experiência e apetência dos nossos consumidores. Se quisermos, penso que poderemos caracterizar o mercado português como um mercado em que o nível de especialização e exigência se tornaram tão relevantes, que os “tiros” que as empresas de comunicações se proponham a dar, não tem grande margem de erro.
 

Telemoveis.com: Quais serão as suas tendências futuras?

PSR:
Penso que, cada vez mais, os consumidores, pelo grau de exigência e conhecimento das tecnologias, irão incentivar a criação de novos serviços e produtos que consigam corresponder às expectativas, sejam eles na área tecnológica/profissional, de moda, música, jogos ou simplesmente utilitária.
 

Telemoveis.com: Têm definidas grandes apostas a médio/longo prazo para o mercado português? E objectivo quanto à posição que pretendem assumir no ranking em termos nacionais?

PSR:
Sem dúvidas que sim! Temos apostas a médio e longo prazo que queremos implementar no mercado português, mas que infelizmente ainda não podemos revelar. O objectivo de qualquer empresa que queira desempenhar, seriamente, o seu papel, não pode nunca ser outro senão o primeiro lugar.
 

Telemoveis.com: Como é realizado o serviço pós-venda? Qual a vossa rede de estações/oficinas de reparação, atenção ao cliente, helpdesks…?

PSR:
O serviço pós-venda da Motorola é assegurado pela empresa Técniluz, www.tecniluz.pt. Qualquer cliente Motorola poderá dirigir-se directamente a uma das lojas da Técniluz em Lisboa ou no Porto para proceder à reparação do seu equipamento, com um compromisso máximo de 72 horas ou, alternativamente, a qualquer ponto de venda do operador. Está neste momento a ser desenvolvido um projecto de expansão da rede de assistência, sobre o qual ainda não posso adiantar detalhes, mas que certamente irá ao encontro das necessidades dos nossos cliente, bem como dos nossos parceiros
 

Telemoveis.com: Como é a relação da Motorola Portugal com a casa mãe (Motorola)? Quais são os departamentos que a Motorola Portugal possui? Onde estão situados?

PSR:
A relação com a casa mãe é feita através do “HQ” (Quartel General) europeu, localizado no Reino Unido, onde toda uma equipa trabalha em conjunto com as diversas operações locais. Em Portugal, existem todos os departamentos necessários ao desenvolvimento do negócio – Vendas, Marketing, Engenharia, Finanças, Logística, Apoio ao cliente.
 

Telemoveis.com: Algumas empresas optam pela aglutinação da Península Ibérica, enquanto outras preferem uma individualização de Portugal face a Espanha. Qual a vossa posição em termos organizacionais da empresa e de apostas de mercado? Porquê?

PSR:
Nós preferimos a segunda, simplesmente pelo facto de cada um dos países ter realidades e especificações diferentes, que exigem que os assuntos relacionados com o negócio de cada país sejam tratados e abordados por equipas locais.
 

Telemoveis.com: Já assistiu a alguma edição da CeBIT? Tem aspectos a salientar da experiência? Acha que continua a ser o evento de referência no mundo das Telecomunicações?

PSR:
Sim, já. Estive presente na CeBIT deste ano. Como qualquer das outras feiras que tive oportunidade de visitar ao longo destes anos, permite ter uma antevisão das tendências, produtos e tecnologias que o mercado absorverá e isso é vantajoso, não só pelo oportunidade que qualquer pessoa tira do facto de ver “ao vivo e a cores” as soluções, mas também por poder compreende-las e experimentá-las em local apropriado com o suporte dos entendidos. Penso que CeBI, tem vindo a perder algum do seu impacto, muito pelo facto de estar bastante associada à realidade germânica, mas continua e continuará, sem dúvida, como um dos eventos de referência do mundo das telecomunicações, assim como o é o 3GSM em Cannes.
 

Telemoveis.com: O que pensa da Comtec? Considera que o evento corresponde às necessidades do nosso mercado e dos seus players ou preferia o anterior modelo da Inforpor/Expotelecom? Que periodicidade pensa ser a mais correcta?

PSR:
Assim como a CeBIT ou o 3GSM são eventos de referência do mercado de telecomunicações, a ComTec também poderá vir a alcançar o seu lugar como um evento de referência dentro da realidade portuguesa/ibérica. Numa perspectiva puramente pessoal, penso que o evento como está faz mais sentido do que o modelo anterior.