Skip to main content

Espanha: tribunais não revêm concurso UMTS

Persistem dúvidas quanto à transparência do processo

A “Audiencia Nacional” espanhola voltou a recusar o recurso da Uni2, empresa preterida no concurso nacional para atribuição das licenças móveis de terceira geração, dita UMTS, que pretendia suspender o concurso. Recorde-se que o diferendo arrasta-se desde que foram conhecidos os resultados, que nomearam os consórcios Telefónica, Airtel, Amena e Xfera. A Uni2 e a Ferrovial recorreram então aos tribunais argumentando com a falta de transparência. Se a Ferrovial acabou por desistir do processo judicial no passado mês de Fevereiro, a Uni2 quer levá-lo até às últimas consequências. Entretanto, a oposição do país vizinho está a pressionar o governo para revelar todos os detalhes da atribuição das licenças, depois da ministra da Ciência e Tecnologia ter admitido não ter anteriormente remetido aos deputados toda a informação correspondente, nomeadamente, à modificação à última da hora, dos critérios de ponderação.