Europa à frente na adesão à terceira geração

Consumidores habituados a uma utilização mais «desempoeirada» do GSM mostrarão maior abertura.

Estudos há-os para todos os gostos. E no tocante às perspectivas do UMTS eles são muitos e por vezes contraditórios. Um dos mais recentes, elaborado pela Cahners Instat conclui que a Europa será, até 2005, o continente em que o comércio móvel baseado nos serviços de terceira geração terá, apesar de tudo, mais aceitação.

Os serviços de entretenimento, mais do que de as compras, deverão ser os responsavéis pelos lucros dos operadores.

A China e os demais mercados asiáticos, deverão ser igualmente assíduos consumidores enquanto nas Américas do Norte e Latina a adesão e os proventos terão dificuldades em tomar forma na medida da fragmentação dos standards adoptados.

Ademais, nos EUA, o SMS está ainda numa fase de uso muito incipiente. Mesmo com infraestruturas adequadas a utilização do tipo de serviços que evoluirá a partir desta base não está ainda entrenhada na cultura e nos hábitos populares.

Recorde-se que, ainda há poucos dias, outro estudo concluia que apenas quatro por cento dos utilizadores de telemóvel tenciona recorrer ao aparelho para comprar bens ou serviços através da Internet.