France Telecom com semana negra

Um sucesso só: o anúncio sexta-feira do afastamento de Schmid da liderança da Mobilcom

O epílogo da grave crise que opôs o operador francês a Gerhard Schmid não permitiu travar a queda das acções em mais de 20 por cento. E a dívida recorde de 70 biliões de euros está a comprometer seriamente o futuro de uma das maiores empresas francesas, avisa o Le Monde . De facto, o operador francês teve mais uma semana negra. As acções caíram 3,72 porcento na sexta-feira, o que não era uma tragédia se no dia anterior não tivesse “mergulhado” mais de 14,07 porcento, terminando a valer 12,41 euros, um novo mínimo histórico. Estas quedas irão sobretudo constituir um grande choque para os pequenos investidores, apenas a alguns meses do quinto aniversário da primeira cotação em bolsa das acções da FT, que valia na altura 27,75 euros. Recorde-se que em Março de 2001 as acções chegaram a valer 219 euros cada.