Skip to main content

Global Crossing na bancarrota

Hutchinson e Telemedia assumirão gestão contra concessão de estatuto maioritário

A empresa que, de 1997 a esta parte, contratou cerca de 10 mil empregados a nível mundial e mantém no continente europeu uma rede qua abrange 47 cidades, vai agora passar a ser gerida pela Hutchinson Whampoa, empresa de investimentos de Hong Kong conhecida por ter fundado a Orange Mobile e pela Telemedia, empresa baseada em Singapura, que em conjunto vão investir cerca de 750 milhões de dólares para reabilitar a Global em troca da obtenção de uma posição maioritária. A companhia norte-americana tinha declarado perdas de 3.4 biliões de dólares no terceiro quartel do ano passado, sendo-lhe também nessa altura atribuídos activos de 22.4 biliões e 12.4 biliões em direitos. Fundada em 1997 por Gary Winnick, a Global Crossing foi uma das empresas mais badaladas à altura da ascensão das super-estrelas da nova economia, quando esta galvanizava os investidores. Durante os primeiros anos de vida, ainda na década de noventa, as acções da empresa conheceram grande procura o que lhe permitiu algum desafogo na construção de raiz da primeira rede de fibra óptica a nível mundial.