NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo

Governo define quantidade de acções para OPV da PT

sábado, 03 julho, 1999 /
Governo define quantidade de acções para OPV da PT Governo define quantidade de acções para OPV e Venda Directa quando procura no pré-registo já ultrapassa 3,25 vezes a oferta global. Governo define quantidade de acções para OPV e Venda Directa quando procura no pré-registo já ultrapassa 3,25 vezes a oferta global. 2ª Resolução do Conselho de Ministros sobre 4ª fase de privatização da Portugal Telecom Na OPV estarão disponíveis 10,0025 milhões de acções Para a Venda Directa a investidores institucionais nacionais e estrangeiros estão destinadas um máximo de 15,65 milhões de acções Procura manifestada no pré-registo atingia até ontem 83,5 milhões de acções no pré-registo, 8,3 vezes a oferta destinada à OPV e 3,25 vezes a oferta global OPV decorre de 5 a 9 de Julho O Governo definiu hoje o número máximo de acções da Portugal Telecom a vender na Oferta Pública de Venda no seu conjunto e em cada um dos seus segmentos, bem como as acções destinadas à Venda Directa a investidores institucionais nacionais e estrangeiros. Do total de 25,65 milhões de acções em venda pelo Estado na Oferta Combinada de Acções, 10,0025 milhões serão canalizadas para a OPV e até um máximo de 15,65 milhões para a Venda Directa. OPV: 12,5 % para trabalhadores e 50 % para pequenos subscritores A quantidade máxima de acções a atribuir a cada um dos segmentos que compõem a OPV ficou fixada da seguinte forma: Trabalhadores - 1 250 000 acções, 12,5 % da OPV Pequenos Subscritores e Emigrantes - 5 000 000 acções, 50 % da OPV Detentores de Obrigações - 2 500 acções, 0,02 % da OPV Público em Geral - 3 500 000 acções, 35 % da OPV A reserva de acções para o prémio de fidelidade é de 250 000 acções, 2,5 % da OPV. Procura no pré-registo atinge 83,5 milhões de acções A procura de investidores particulares manifestada até ontem, ante-penúltimo dia de pré-registo, totalizava 83,5 milhões de acções, ou seja 8,3 vezes a oferta destinada à OPV e 3,25 vezes a oferta global. O período de pré-registo para a OPV começou a 18 de Junho e termina amanhã. Os investidores que efectuarem o pré-registo durante a 2ª fase - de 28 de Junho a 2 de Julho - beneficiam de um coeficiente de rateio superior em 100% ao das ordens de compra transmitidas durante a OPV. Todos aqueles que procederam ao pré-registo na 1ª fase beneficiam de um coeficiente de rateio superior em 200%. O período de entrega de ordens para a OPV terá início na próxima segunda-feira, dia 5 de Julho, terminando na sexta-feira, dia 9. Venda Directa: roadshow até 9 de Julho O roadshow da empresa continua a decorrer até 9 de Julho, incluindo visitas a investidores institucionais em Amsterdão, Roterdão, Haia, Paris, Frankfurt, Zurique, Genebra, Milão e Madrid, depois de ter percorrido as principais praças financeiras dos EUA e outras quatro na Europa - Londres, Edimburgo, Dublin e Lisboa, onde teve início no passado dia 17 de Junho. Aumento de capital com subscrição até amanhã Entretanto, termina amanhã o período de subscrição de acções para o aumento de capital da PT, a decorrer em simultâneo com esta Oferta Combinada de Acções do Estado. Recorde-se que o aumento de capital é destinado aos accionistas da PT, que podem subscrever 1 nova acção por cada lote de 10 acções detidas, sendo o preço de subscrição o mesmo que for fixado para a venda directa. Calendário da 4ª fase de privatização Até final da operação são os seguintes os principais factos: Até 2 Jul - Período de Aumento de Capital - 2º Período de pré-registo 2 Jul - Publicação do prospecto definitivo 5 Jul - 9 Jul - Período de OPV 12 Jul - Sessão Especial de Bolsa - Definição de quantidades finais (clawback e clawforward) - Definição do preço base final 13 Jul - Liquidação/trading das acções - Admissão à cotação das acções subscritas no aumento de capital, após registo comercial 15 Jul - Liquidação internacional
3,166