• Início
  • Apps
  • Inaugurado centro aberto para testes de aplicações UMTS em Cascais

Inaugurado centro aberto para testes de aplicações UMTS em Cascais

«Menos press releases e mais factos» é o lema da Alcatel que quer provar que a tecnologia está madura e a marca bem colocada. Pelo menos no domínio das redes.

Em Portugal a divisão de redes da Alcatel logrou obter o contrato para o fornecimento de infra-estruturas à TMN. O centro de Cascais declara-se, porém, aberto a todos as empresas grandes e pequenas que aí se queiram dirigir para proceder ao teste das suas aplicações/conteúdos 3G. Disponíveis nas instalações da Alcatel estão uma antena e um laboratório completo com todo o hardware necessário contando-se ainda com a colaboração da TMN para testes na rede desta montada na zona de Cascais. No decurso da apresentação à Imprensa, o director da divisão de redes móveis, eng. António Neto, fez questão de conceder uma entrevista em videoconferência através de um dos dois terminais UMTS da marca Mitsubishi presentes. Mostrar a 3G em acção como realidade concreta era o objectivo. Conforme salientou, a infra-estrutura disponibilizada assenta estritamente nos protocolos estabelecidos para a 3G europeia no que pretende constituir «um ambiente baseado numa rede real, aberto a quem quer que seja, para poderem testar as suas aplicações UMTS em função dos terminais que vão estando disponíveis no mercado». Quanto à estratégia da própria Alcatel relativamente ao fabrico de terminais, esta passa pelo Evolium, um consórcio com a Fujitsu onde tem posição maioritária. Admitiu-se, porém, que a marca francesa não deverá lançar nenhum modelo UMTS antes de decorridos pelo menos doze meses. Em Cascais, na apresentação, as demonstrações incluíram funcionalidades de web-browsing e lifestreaming (até 384 Kbps num terminal UMTS de secretária capaz de fornecer ligação a uma rede com ligação por USB ou bluetooth de seis PCs. Os terminais portáteis Mitsubishi tinham uma limitação de 100 Kbps…) através de uma aplicação concebida em particular pela parceria mantida pela Alcatel com a Thomson Multimédia para o pedido remoto de ficheiros em formato MP4. José Camões Vieira, director do programa UMTS da Alcatel mostrou-se igualmente confiante quanto ao futuro da tecnologia. O facto de os modelos presentes para teste serem inéditamente volumosos face aos actuais padrões GMS não lhe parece grave, antes inevitável dado o tamanho do visor. A leveza era, de facto, surpreendente.