LG BL40 Chocolate

Quarta e mais recente adição à série Black Label, caracterizada um design inovador onde predominam as linhas minimalistas e o tom negro do “Chocolate”…

LG BL40

A favor :

  • Bom gosto do desenho, atraente
  • Tamanho e luminosidade do ecrã
  • Wi-Fi, permite economizar no acesso à WWW
  • Saída standard 3,5 mm para auscultadores
  • Cabo USB fornece alimentação de recarga
  • Bom conjunto de aplicações pré-instaladas

     

    A melhorar:

  • Qualidade dos vídeos e fotos
  • Autonomia
  • Ecrã podia ser mais sensível
  • O S-Class é bom mas a oferta e instalação de novas aplicações comparativamente limitada
  •  

    Foi em Maio de 2006 que a LG lançou o primeiro “bombom” da sua série Black Label à qual o novo BL40 é a quarta e mais recente adição, assegurando a continuidade de uma safra caracterizada um design inovador onde predominam as linhas minimalistas e o tom negro do “Chocolate”, como o modelo é cognominado.

    O ecrã táctil na proporção panorâmica atípica de 21:9, com 10 cm de diagonal e uma resolução de 800×345 pixéis domina um dispositivo que integra as últimas funcionalidades expectáveis em smartphones, incluindo atalhos gestuais, rádio FM, A-GPS, HSDPA (7.2 Mbps), Wi-Fi, Bluetooth e uma câmara de 5 megapixéis (8 na versão asiática “especial de Natal”, inacessível entre nós).

    Do ponto de vista do estética, trata-se de um objecto esplêndido no contraste entre o vermelho e negro, uma combinação classicamente fashionable em telemóveis, que apesar do comprimento, compensando pela fina espessura, se integra perfeitamente no bolso.

    É impulsionado pelo sistema operativo S-Class 3D da marca introduzido com o Arena, reconhecível pelo seu característico cubo de quatro faces (uma para os widgets, uma para os contactos, outra para os favoritos e uma para os atalhos das aplicações).

       

    O menu principal é composta por 32 ícones, repartidos em quatro grupos que se fazem desfilar com o dedo. De resto, como impressão geral é de louvar o espaçamento entre opções e botões de selecção, deixando lugar mesmo para os dedos mais grossos e desajeitados.

    Com apenas cerca de 1GB de memória própria fica neste particular aquém do concorrente iPhone, aceitando no entanto em contrapartida cartões de memória micro-SD até 32GB; necessários para retirar partido das funcionalidades multimédia e como reprodutor de vídeo (MPEG4, H.263, DivX, AVI).

    Foto tirada pelo IPhone 3GS

    De outra forma, levando a palma ao GD900 Crystal em termos de velocidade de resposta e sensibilidade ao toque, em geral fica ainda um pouco aquém do modelo da Apple no que toca a rapidez.

    No que diz respeito à captura de vídeo, apesar da resolução VGA e de uma interface particularmente boa e completa para a personalização dos diversos parâmetros, os resultados práticos da à partida promissora câmara Schneider estão aquém do desejável, havendo frequentes saltos da imagem. Na captura fotográfica o resultado é igualmente mediano.

    Amostra de capturas fotográficas (resol. original)
       
    Foto capturada pelo LG BL40 Foto capturada pelo LG BL40

    Amostra de capturas de vídeo
    Foto capturada pelo LG BL40 Foto capturada pelo LG BL40

    Quanto à autonomia energética, a bateria de 1000 mAh pode permitir 6 horas de conversação mas a qualidade do ecrã paga-se no consumo energético e o abuso das funcionalidades multimédia aumenta drasticamente a necessidade de recarga.

    Soma e substância e alternativas LG: o indiferente BL20 & o simples mas extremamente cativante GD510

    LG BL20

    O BL40 é um modelo eminentemente capaz como leitor de multimédia com boa qualidade de reprodução e enquanto objecto para fornecer acesso à Internet. Apela ao olho e inclui um conjunto completo de ferramentas de gestão pessoal da informação, simplificando mormente o acesso ao e-mail com pré-definições de suporte a vasto número de provedores e às aplicações móveis Google.

    Supera definitivamente o BL20 (foto à direita), seu irmão em versão slide acrescentando carácter e funcionalidade ao efeito cromático de um modelo que, por si só, abdicando do ecrã tácil, proporciona uma experiência de uso a que apenas os utilizadores mais incapazes de se libertarem da força do hábito do teclado podem achar interesse.

    LG GD510

    Noutro plano, utilizadores que prefiram gastar menos, dentro da mesma marca, para um telefone igualmente com ecrã táctil, pese embora menor resolução, compacto e fácil de usar podem encarar sem reservas como alternativa viável o LG GD510 (foto à esquerda) que oferece uma soberba relação qualidade/preço e sendo menos promovido pelo fabricante é ainda assim a nosso ver tão ou mais concorrencial na respectiva gama.

    Sendo certo que ao GD510 faltam características para os utilizadores que pretendam uma navegação mais frequente na Internet (com a ausência de Wi-Fi para ligação pela rede local e um ecrã mais modesto mas ainda assim satisfatório de 240 x 400 pixéis) ou tirar partido do ausente GPS, tem uma boa capacidade multimédia (a câmara de 3MP acaba por produzir em termos de definição resultados próximos dos dois anteriores), rádio FM, uma qualidade sonora em alta-voz absolutamente imbatível e uma forma cativante que assenta que nem uma luva na mão e facilmente se esqueçe bolso. Pode não ser legítimo comparar alhos com bugalhos, mas na prática às vezes as coisas mais simples levam a palma.

    Comparação do BL40 com o BL20 e o GD510
    Foto capturada pelo LG BL40 Foto capturada pelo LG BL40