Mega: novo website de Kim Dotcom sucede Megaupload

Lembram-se do Megaupload? O popular website de partilha de ficheiros foi encerrado há um ano, mas Kim Dotcom regressou agora com Mega, sucessor ‘inteiramente legal’ do Megaupload.

Talvez não seja coincidência que ontem (20 Janeiro) tenha sido o aniversário de Kim Dotcom, membro fundador do Megaupload e mentor de Mega, o seu novo website/projecto e sucessor lógico do outrora popular website de partilha de ficheiros. A diferença, contudo, é que Dotcom garante que o novo serviço será ‘inteiramente legal’.

A apresentação do novo Mega decorreu no passado Sábado dia 19 de Janeiro em Auckland, na Nova Zelândia, precisamente um ano depois do encerramento do Megaupload por parte do FBI. ‘Isto não é para mostrar nenhum dedo ao governo norte-americano ou a Hollywood’, referiu Dotcom em declarações à Reuters, alegando que o novo serviço ‘é tão legítimo como o Dropbox, o Boxnet e outros concorrentes’, acrescentou.

Mega: novo website de Kim Dotcom sucede Megaupload

E como é que foi assegurada a legalidade do novo Mega? De acordo com Dotcom, citado pelo Público, cada píxel daquele site foi analisado por advogados e é evidente que estamos a cumprir todas as leis. Junte-se a isto um novo método de encriptação em tempo real, o qual exclui a necessidade de instalar qualquer aplicação e recorre apenas ao browsero que permite mais privacidade para os seus utilizadores.

E no caso de terem sido identificados conteúdos não apropriados ou até mesmo ilegais? Tal como acontecia com o Megaupload, os outros utilizadores pdoem retirar conteúdos. Se alguém identificar algo que não pode estar ali, pode entrar em contacto connosco, pedir-nos para retirarmos esse conteúdo e é isso que faremos. Iremos cumprir integralmente a lei e colaborar com as autoridades.

Mega: novo website de Kim Dotcom sucede Megaupload

A chave, contudo, estará no novo sistema de encriptação, o qual será aplicado ao ficheiro no computador do utilizador antes de armazenar o ficheiro, que terá que aguardar pelo envio de uma segunda chave. Isto significa que o novo Mega não será o responsável pela partilha de ficheiros ou pelo armazenamento de dados abrangidos por direitos de autor, mas sim os utilizadores individuais.

O serviço já conta com mais de 1 milhão utilizadores registados, de acordo com o Tectudo, e disponibiliza cerca de 50 GB de espaço de armazenamento gratuito.