Ministros debatem futuro das comunicações

Conselho comunitário tem hoje lugar em Bruxelas. Internet e UMTS integram a agenda

Os ministros apreciarão uma proposta da Comissão Europeia sobre “Internet da nova geração: prioridades e acções na transição para o novo protocolo de Internet IPv6”. O Executivo comunitário insiste na importância de adoptar o novo protocolo, se se quiser alcançar o chamado “objectivo de Lisboa”, que persegue a meta de fazer da UE a economia mais competitiva e dinâmica do mundo em menos de uma década. Para alcançar esse objectivo deve manter-se e tirar partido do primeiro lugar da UE em matéria de implantação de comunicações móveis, bem como fazer uma transição efectiva para o novo protocolo Internet chamado a substituir o actual, o IPv4. O IPv6, em desenvolvimento desde meados dos anos 90, está hoje suficientemente maduro para que os distribuidores proponham os primeiros produtos com base nesta nova versão do protocolo. O Conselho deverá pronunciar-se também sobre uma proposta no sentido de prolongar por dois anos um plano de acção para a utilização segura da rede, lutando contra as mensagens de conteúdo ilícito e prejudicial. A proposta, que conta com um suporte orçamental de 13,3 milhões de euros, contempla também a extensão deste plano de acção aos países candidatos à adesão à UE. Os Quinze discutirão ainda sobre os objectivos, enfoque e meios propostos pela Comissão para concretizar o novo plano “e- Europe 2005”, que pretende promover a segurança das redes, o desenvolvimento da banda larga e de serviços de administração, saúde e educação em linha. Sobre o UMTS, recorde-se que elementos veiculados ontem pelo El Pais, nomeadamente, dão como segura a possibilidade da Comissão decidir tornar possível a venda das licenças como activos, contando que se mantenham as suas condições.