NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Novo estudo afasta risco de cancro

Novo estudo afasta risco de cancro

terça-feira, 06 setembro, 2005 /
Efeitos do uso de telemóvel durante 10 anos. O usto de telemóvel durante 10 anos não está directamente relacionado com o aparecimento do cancro do cérebro, segundo um estudo levado a cabo por especialistas do Institute of Cancer Research, de Londres, junto de 4.231 utilizadores do Reino Unido, Suécia, Noruega, Dinamarca e Finlândia, países que foram pioneiros na introdução da tecnologia.

O estudo, publicado pelo British Journal of Cancer, refere-se nomeadamente ao cancro a nível do ouvido, mas não afasta possíveis efeitos nocivos a prazo superior a uma década.

Do total de utilizadores estudados, 3.553 não apresentaram qualquer problema enquanto 678 padeciam (ao fim de 10 anos) de um tumor benigno que se desenvolve no nervo que liga o ouvido e o cérebro, o qual pode originar surdez ou vertigens.

«O resultado do estudo indica que não há um risco substancial de contrair cancro na primeira década de uso de telemóvel», afirmou o responsável máximo pela investigação, Anthony Swerdlow. Porém, «desconhece-se se há riscos num espaço de tempo superior, já que esta é ainda uma tecnología relativamente nova», admitiu.
3,406