NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
UMTS: aposta na pornografia

UMTS: aposta na pornografia

quarta-feira, 24 outubro, 2001 /
Uma das empresas britânicas detentoras de licença UMTS, a Hutchinson 3G, recrutou um executivo para estudar conteúdos pornográficos. O negócio da pornografia é pior que pão quente: vende sempre, com toda a certeza. O Telemoveis.com já tinha dado conta das intenções da Private, empresa ligada ao sector da pornografia e cotada no Nasdaq, de investir em conteúdos para os futuros telemóveis multimédia. A ideia deve ter agradado até às próprias operadoras, que estudam "seriamente" o negócio.

A operadora britânica Hutchinson 3G recrutou para o seu corpo executivo, um especialista em soft porn (pornografia suave?) para a disponibilização de conteúdos pornográficos nos telemóveis de terceira geração. A vantagem de serem multimédia permite que um número ilimitado de negócios possam nascer à custa de serviços e conteúdos para este tipo de telecomunicações.

Numa primeira fase haveria apenas a disponibilidade de imagens estáticas ou fotografias. Mas o objectivo é colocar em circulação pelos telemóveis de terceira geração pequenos filmes, com recurso a todas as características multimédia de um telemóvel de rede UMTS.

A procura nem sequer se põe em causa. Com apenas um mês (ainda não terminado) de 3G no Japão e já há relatos de páginas não oficiais na internet para serem acedidas por telemóveis UMTS e descarregar fotos e filmes pornográficos.

O fim não está em causa, agora é preciso é aperfeiçoar os meios!

5,357