Skip to main content

Multimedia XXI : A prioridade é investir no digital

Mais e melhor justiça, mais e melhor educação só serão possíveis em Portugal com investimentos significativos na economia digital.

«Lisboa, 12 Abr (Lusa) – Mais e melhor justiça, mais e melhor educação só serão possíveis em Portugal com investimentos significativos na economia digital, afirmou hoje o presidente da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC). Raul Junqueiro falava na sessão de abertura do Multimedia XXI, iniciativa da APDC e da Expolíder, que decorre até domingo na FIL (Parque das Nações). O certame compreende a realização de uma conferência, sobre o “Estado da Nação Digital”, um festival, uma exposição e a entrega de prémios às melhores produções nacionais do sector (multimédia). O secretário de Estado do Tesouro e das Finanças, António Nogueira Leite, disse na abertura do certame que o papel do executivo na economia digital deve ser o de criador de condições para que ela se desenvolva e todos os cidadãos possam colher os seus benefícios. “O executivo deve dar o exemplo, acompanhando os desenvolvimentos nesta área e aproveitando os seus benefícios para tornar transparentes os processos sem despesas adicionais”, afirmou. Segundo Raul Junqueiro, a conferência sobre o “Estado da Economia digital” pretende “fazer o ponto de situação sobre a indústria e perspectivar o seu desenvolvimento a curto e médio prazo”. A APDC constituiu a Coligação para a Economia Digital, elaborando um manifesto e um Programa de Desenvolvimento onde se preconiza a “implementação de acções concretas” e que deverá ser apresentado ao Governo, sublinhou. Para o professor da Universidade Autónoma de Lisboa Amado da Silva, responsável pelo Programa de Desenvolvimento preconizado pela APDC, a Internet “vai mudar a organização da vida do Estado, da vida empresarial e da própria vida do cidadão, pelo que deve haver uma aposta na formação e educação”. O presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia destacou na ocasião o papel que a Investigação e o Desenvolvimento desempenham na Sociedade da Informação. Segundo Luís Magalhães, a informação é relevante quando permite produzir e difundir conhecimento. Na sua opinião, só assim os custos de implementação da Sociedade da Informação se traduzem em investimentos rentáveis no futuro.»