• Início
  • Mobile
  • Nokia apresenta resultados do 4º trimestre de 2009

Nokia apresenta resultados do 4º trimestre de 2009

A Nokia acaba de apresentar os seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2009, bem como os valores acumulados relativos ao ano transacto

A Nokia acaba de apresentar os seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2009, bem como os valores acumulados relativos ao ano transacto. As vendas líquidas da empresa situam-se nos 12 mil milhões de euros, ao passo que, em termos acumulados, alcançaram no ano passado os 41,0 mil milhões de euros. A administração da Nokia irá propor um dividendo de 0,40 euros por acção relativamente a 2009 (0,40 euros por acção em 2008).

DESTAQUES DO 4º TRIMESTRE DE 2009

  • Vendas líquidas da Nokia atingem os 12,0 mil milhões de euros, descendo 5% em termos anuais e subindo 22% em termos sequenciais (redução de 4% e subida de 20% a taxas de câmbio constantes).
  • Vendas líquidas na área de Devices & Services de 8,2 mil milhões de euros, subindo 0,5% em termos anuais e subindo 18% sequencialmente (aumento de 2% e subida de 16% a taxas de câmbio constantes).
  •  Vendas líquidas de Serviços de 169 milhões de euros, subindo 15% sequencialmente; facturação de 226 milhões de euros, subindo 31% sequencialmente.
  • Volume global de dispositivos móveis estimado em 329 milhões de unidades, o que constitui uma subida de 8% em termos anuais e de 14% sequencialmente.
  • O volume de dispositivos móveis Nokia situou-se nas 126,9 milhões de unidades, o que representa um aumento de 12% em termos anuais e de 17% em termos sequenciais.
  • Quota de mercado de dispositivos móveis da Nokia estimada em 39% no 4º trimestre de 2009, subindo dos 37% estimados no 4º trimestre de 2008 e dos 38% no 3º trimestre de 2009. A quota de mercado de dispositivos móveis da Nokia estimada em 2009 foi de 38%, descendo dos 39% registados em 2008.
  • A Nokia aumentou a sua quota de mercado de dispositivos convergentes para um valor estimado de 40%, de um valor estimado de 35% no 3º trimestre de 2009.
  • Preço de venda médio (ASP) dos dispositivos móveis Nokia na casa dos 63 euros, aumentando em relação aos 62 euros averbados no 3º trimestre de 2009.
  • Margem bruta da área de Devices & Services aumentou para 34,3%, dos 30,9% registados no Q3 2009.
  • NAVTEQ com vendas líquidas não-IFRS de 225 milhões de euros, subindo 9% em termos anuais e 36% sequencialmente, e com uma margem operacional não-IFRS2 (10) 29 de Janeiro de 2010
  • de 24,0%, descendo em relação aos 25,9% registados no 3º trimestre de 2009.
  • Nokia Siemens Networks com vendas líquidas de 3,6 mil milhões de euros, decrescendo 16% em termos anuais e subindo 31% em termos sequenciais (descendo 17% e subindo 29% a taxas de câmbio constantes).
  • O cash flow operacional alcançou os 1,5 mil milhões de euros, mais do dobro do cash flow operacional do Q3 2009.
  • O total de recursos financeiros (e outros) líquidos totalizou 8,9 mil milhões de euros no final do 4º trimestre de 2009.
  • Os impostos pagos pela Nokia foram influenciados negativamente pelas taxas aplicadas à Nokia Siemens Networks, uma vez não existirem benefícios para certos itens fiscais da Nokia Siemens Networks.
  • Caso a taxa de longo prazo estimada, de 26%, tivesse sido aplicada, o EPS não- IFRS teria sido aproximadamente 1 cêntimo mais elevado.

Em declarações, o CEO da Nokia, OLLI-PEKKA KALLASVUO, afirma: “No quarto trimestre de 2009, aumentámos a nossa quota de mercado no sector dos smartphones devido ao sucesso do lançamento de novos modelos com teclado QWERTY e ecrã táctil. O nosso desempenho no  segmento dos smartphones, aliado aos bons resultados nos mercados emergentes, impulsionou a subida das vendas da nossa unidade de Devices & Services, em termos trimestrais e anuais. A solidez dos nossos resultados fica também a dever-se à impressionante capacidade de execução da nossa cadeia de distribuição mundial. Estou igualmente satisfeito com a performance da Nokia Siemens Networks no quarto trimestre, tendo em conta, especialmente, o constante desafio que se verifica no mercado das infra-estruturas. Esse desempenho permitiu-lhe registar lucros anuais em termos operacionais.
Mantemo-nos empenhados em fazer as coisas acontecerem e na melhoria contínua das experiências proporcionadas aos  utilizadores. Quero destacar o nosso compromisso de “agitar as águas” no mercado da navegação, através da inclusão gratuita, nos nossos smartphones, do serviço de navegação automóvel e pedestre. Este é um bom exemplo da forma como promovemos os nossos recursos, transformando-os em benefícios reais para os consumidores
“.

GRUPO NOKIA
Em 2009, as vendas líquidas da Nokia desceram 19%, para 41 mil milhões de euros (50,7 mil milhões de euros em 2008). No mesmo período, as vendas líquidas da área de Devices & Services diminuíram 21%, para 27,9 mil milhões de euros (35,1 mil milhões de euros). As vendas líquidas da Nokia Siemens Networks diminuíram 18%, para 12,6 mil milhões de euros (15,3 mil milhões de euros). As vendas líquidas da NAVTEQ foram de 670 milhões em 2009 (361 milhões para os seis meses até ao dia 31 de Dezembro de 2008). Em 2009, as vendas líquidas da Europa foram calculadas em 36% (37%), Ásia- Pacífico 22% (22%), Grande China 16% (13%), Médio Oriente & África 14% (14%), América Latina 7% (10%) e América do Norte 5% (4%). Os dez mercados que geraram as melhores vendas líquidas em 2009 foram, em ordem decrescente de magnitude, a China, Índia, Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos, Rússia, Indonésia, Espanha, Brasil e Itália que, juntos, representam aproximadamente 52% do total de vendas líquidas em 2009. Em comparação, os dez mercados que geraram as melhores vendas líquidas em 2008,foram a China, Índia, Reino Unido, Alemanha, Rússia, Indonésia, Estados Unidos, Brasil, Itália e Espanha, que representaram
aproximadamente 50% do total de vendas líquidas em 2008. A margem bruta da Nokia em 2009, foi de 32,4%, em comparação com os 34,3% em 2008. O lucro operacional da Nokia em 2009 diminuiu 76% para 1,2 mil milhões de euros, em comparação com os 5 mil milhões de euros em 2008. A margem operacional da Nokia foi de 2,9% (9,8%).

O lucro operacional da área de Devices & Services diminuiu 43% para 3,3 mil milhões de euros, em comparação com os 5,8 mil milhões de euros registados em 2008, com uma margem operacional reportada de 11,9% (16,6%). Os lucros operacionais da área de Devices & Services em 2009 incluíram itens especiais de EUR -174 milhões (valor líquido de EUR -557 milhões). As perdas operacionais da NAVTEQ para 2009 foram de 344 milhões (153 milhões nos seis meses até 31 de Dezembro de 2008), representando uma margem operacional de -51,3% (-42,4%). A Nokia Siemens Networks registou uma perda operacional de 1,6 mil milhões de euros, em comparação com os 301 milhões de euros em 2008, representando uma margem operacional de -13,0% (-2,0%).
No ano de 2009, as vendas líquidas e a rentabilidade da Nokia foram negativamente afectadas pelas condições precárias da economia mundial, incluindo o fraco poder de compra dos consumidores e as despesas empresariais, condicionando a disponibilidade de crédito e a volatilidade do mercado monetário. A procura de dispositivos móveis melhorou nos últimos meses do ano, significando que a economia começa a mostrar sinais de recuperação.
As despesas de pesquisa e desenvolvimento reportadas foram de 5,9 mil milhões de euros em 2009, diminuindo 1% dos 6,0 mil milhões de euros registados em 2008. Os custos de pesquisa e desenvolvimento representam 14,4% das vendas líquidas da
Nokia em 2009, subindo dos 11,8% em 2008 . As despesas de investigação e desenvolvimento, incluindo itens especiais, foram de 564 milhões em 2009 (550 milhões em 2008). A 31 de Dezembro de 2009, a Nokia tinha 37.020 pessoas a trabalhar em investigação e desenvolvimento, representando aproximadamente 30% da força de trabalho total do grupo, com uma forte presença na área de I&D em 16 países.
Em 2009, as despesas de comercialização e de marketing foram de 3,9 mil milhões de euros, em comparação com os 4,4 mil milhões em 2008. As despesas de comercialização e marketing da Nokia representaram 9,6% das suas vendas líquidas em 2009 (8,6%). As despesas de vendas e marketing, incluindo itens especiais, foram de 413 milhões de euros em 2009 (341 milhões de euros).

DISPOSITIVOS & SERVIÇOS
Em 2009, o volume total de dispositivos móveis da área Devices & Services da Nokia atingiu as 432 milhões de unidades, representando uma descida de 8% numa base anual. Com base em estimativas da Nokia, o volume global de dispositivos móveis atingiu, no mesmo período, as 1,14 mil milhões de unidades, representando uma diminuição de 6% em temos anuais. Com base em estimativas da Nokia, a quota de mercado da Nokia diminui para 38% em 2009, comparando com os 39% em 2008. Com base em estimativas da Nokia, o volume global de dispositivos móveis de convergência aumentou para as 176 milhões de unidades, em comparação com um valor estimado de 161 milhões de unidades em 2008. O nosso próprio volume de dispositivos móveis convergentes aumentou para as 67,8 milhões de unidades em 2009, em comparação com as 60,6 milhões de unidades registadas em 2008.
Foram comercializados cerca de 18 milhões de dispositivos Nokia Nseries e 18 milhões de dispositivos Nokia Eseries em 2009, decrescendo em relação ao total de 46 milhões de dispositivos Nseries e Eseries que comercializámos em 2008. O preço médio de venda (ASP) de dispositivos móveis em 2009 foi de 63 euros, uma descida de 15% relativamente aos 74 euros registados em 2008. O preço médio de venda da indústria também desceu em 2009. O menor ASP em 2009, em comparação com 2008 deveu-se, principalmente, à pressão geral de redução dos preços e à alta penetração de produtos de gama baixa.

Em 2009, as vendas líquidas dos Devices & Services decaíram 21% para 27,9 mil milhões de euros, em comparação com os 35,1 mil milhões de euros em 2008. A taxas de câmbio constantes, as vendas líquidas dos Devices & Services diminuiriam 20%. A descida resultou, fundamentalmente, dos volumes averbados e da diminuição do ASP. Do total das vendas líquidas de Devices & Services, a área de Serviços contribuiu com 607 milhões de euros em 2009. As vendas líquidas de Devices & Services baixaram em todas as regiões, excepto na China, numa base anual. O lucro bruto reportado de Devices & Services diminuiu 27%, para 9,3 mil milhões de euros, em comparação com os 12,7 mil milhões de euros em 2008, com uma margem bruta de 33,3% (36,3%). Os lucros operacionais de Devices & Services desceram 43% para 3,3 mil milhões de euros, comparando com os 5,8 mil milhões de euros em 2008.
A margem operacional de Devices & Services em 2009 foi de 11,9%, em comparação com os 16,6% em 2008. O decréscimo em termos anuais dos lucros operacionais em 2009 deveu-se, sobretudo à diminuição das vendas líquidas em comparação com
2008.

AQUISIÇÕES E DESINVESTIMENTOS EM 2009

  • Em Dezembro de 2009, a Nokia e a New Alliance, uma empresa de investimento integrada na Shanghai Alliance Investment Ltd, revelaram os planos para criar uma “joint-venture de 50%-50%”, que permitisse oferecer uma gama de serviços móveis na China e apoiar o ecossistema local de developers.
  • Em Dezembro de 2009, a Nokia vendeu à Giesecke & Devrient a sua participação minoritária na Venyon, uma entidade independente de Trusted Service Manager no mercado móvel no âmbito da tecnologia “near field communication” (NFC).
  • Em Outubro de 2009, a Nokia completou a venda da Symbian Professional Services à Accenture.
  • Em Outubro de 2009, a Nokia Siemens Networks e a Juniper Networks formaram uma joint-venture com o objectivo de oferecer soluções de Carrier Ethernet, bem como serviços para o mercado empresarial e residencial no âmbito das redes de banda larga. A joint-venture é detida em 60% pela Juniper Networks e em 40% pela Nokia Siemens Networks.
  • Em Setembro de 2009, a Nokia adquiriu a Dopplr, um fornecedor de serviços para telemóveis direccionado para os viajantes.
  • Em Setembro de 2009, a NAVTEQ adquiriu a Acuity Mobile, cuja plataforma de distribuição de publicidade baseada em localização móvel permite à NAVTEQ continuar a diferenciar as suas acções de publicidade interactiva.
  • Em Setembro de 2009, a Nokia adquiriu activos da Plum Ventures, uma empresa que desenvolve e opera um serviço cloud-based de partilha de mensagens e redes sociais, dirigidos a grupos privados.
  • Em Agosto de 2009, a Nokia adquiriu a cellity, uma empresa de software móvel, responsável pelo desenvolvimento de uma solução que recolhe e armazena dados e contactos de utilizadores.
  • Em Abril de 2009, a Nokia vendeu a sua divisão de dispositivos de segurança à Check Point Software Technologies.
  • Em Fevereiro de 2009, a Nokia adquiriu a bit-side, uma empresa especializada em serviços e softwares.
  • Em Janeiro de 2009, a NAVTEQ adquiriu a T-Traffic Systems, empresa líder no fornecimento de serviços de tráfego na Alemanha.