• Início
  • Mobile
  • Nokia consolida liderança e fecha terceiro trimestre em alta

Nokia consolida liderança e fecha terceiro trimestre em alta

As vendas líquidas da Nokia cresceram 22% para 8007 milhões de euros.

A Nokia acaba de revelar os resultados do terceiro trimestre de 2001 ultrapassando os objectivos estipulados para o período considerado em termos de lucros. A Nokia anunciou ter alcançado fortes resultados para o primeiro trimestre, que ultrapassaram as previsões iniciais alcançando uma vez mais, boa rentabilidade e um crescimento superior ao previsto para o mercado, tanto em redes como em telefones móveis. Os números pro forma sobre lucros de exploração aumentaram 8% para 1440 milhões de euros, numa base real a margem de exploração foi de 1369 milhões de euros. Os resultados pro forma por acção (após diluição) foi de 0.22 (0.19), os resultados reais por acção (após diluição) foi de 0.20 (0.19). Comentando os resultados, Jorma Ollila, CEO e presidente da Nokia, expressou confiança na capacidade da empresa de apresentar um desempenho positivo em situações de competitividade e afirmou que “estou mais que satisfeito com os nossos resultados para o primeiro trimestre. Conseguimos expandir a nossa liderança, ao mesmo tempo que conseguimos dar resposta aos desafios diários dum ambiente económico extremamente exigente. Durante o trimestre, continuámos a aumentar a nossa quota de mercado tanto no sector dos telefones móveis, como no das redes, e conseguimos manter um crescimento lucrativo e um sólido casflow operacional.” A Nokia decidiu revelar os seus números pro forma como reais, a começar neste trimestre, de modo a aumentar a sua transparência e fornecer informação mais significativa aos investidores. Os ajustamentos pro forma para este trimestre reflectem a não inclusão da amortização goodwill em relação aos 71 milhões (em comparação com os 19 milhões em variação homóloga) associados às aquisições. Futuramente, os ajustamentos pro forma poderão a vir a reflectir as possíveis alterações na estrutura da empresa, em resultado de aquisições ou vendas, alterações nos princípios contabilísticos, bem como outros elementos excepcionais.