Nokia cresce mais do que o mercado

A Nokia anuncia que, segundos os resultados do primeiro trimestre de 2003, as vendas de telemóveis cresceram mais que a média do mercado.

Em relação ao mercado na sua totalidade, foram vendidos 98 milhões de telemóveis, mais 10 por cento que no mesmo período do ano anterior. Números que fazem de Jorma Ollila, presidente e CEO da Nokia, um homem satisfeito, com os lucros a subirem nove por cento com uma «saudável margem» de 24 por cento, segundo se pode ler no referido comunicado.

Aliás, nas palavras do responsável máximo da empresa, foi mesmo o forte desempenho do departamento dos terminais móveis que determinaram uma substancial redução do impacto negativo dos resultados operacionais da área de infra-estruturas de redes. O sucesso das vendas esteve nos 17 modelos CDMA apresentados para o mercado americano, e na boa resposta por parte das operadoras e dos clientes ao 3650.

Os números relativos ao sector das infra-estruturas devem ter sido mesmo para esquecer, uma vez que os resultados operacionais da empresa de 1.187 milhões de euros significaram um decréscimo de oito por cento nos lucros, já que no mesmo período de 2002 os números tinham ascendido a 1.286 milhões. Mesmo assim, foram contabilizados nos resultados deste ano a venda da participação que a Nokia tinha na marca de pneus Nokian.