Skip to main content

Nokia desiste dos toques

O fabricante diz que o negócio não é atractivo e faz a vontade aos operadores.

A fabricante finlandesa, que nunca apostou em força neste serviço lutando por quotas de mercado, preferiu promover esta funcionalidade como mais uma forma de explorar as capacidades do hardware, enquanto este esteve disponível através do Club Nokia.

O abandono do negócio, que gera receitas anuais globais entre 1,5 e 3,5 mil milhões de dólares, é visto como mais um indicador de que a Nokia está empenhada em trabalhar junto dos operadores, muitas vezes com uma opinião pouco favorável à entrada dos fabricantes de equipamentos no negócio dos serviços móveis.