Nokia prevê quebra de vendas

No cômputo do ano as vendas poderão mesmo ficar abaixo dos 400 milhões de terminais.

A marca tinha anteriormente previsto um crescimento anual de vendas entre cinco e os dez porcento. Agora, as expectativas de crescimento anual foram abatidas para uns meros quatro porcento. Devendo ficar aquém dos previstos 400 milhões de terminais. O fabricante finlandês espera não obstante obter este trimestre uma quota de mercado na casa dos 38 porcento. De uma forma geral o arrefecimento do mercado deve-se por um lado à pouca receptividade dos compradores em mudarem de um terminal num instante de transição tecnológica e, por outro, à tendência acentuada dos operadores para memorizarem o peso dos pacotes pré-pagos e dos telefones subsidiados. A divisão de redes da Nokia (Nokia Networks) deverá acompanhar a tendência com quebras de resultados entre 20 e 25 porcento, comparado com valores previstos de quebra homóloga entre cinco e dez porcento.