Nokia supera expectativas

Vendas em 2004 chegaram aos 29.300 milhões de euros.

A Nokia acaba de anunciar os resultados financeiros relativamente ao ano transacto, no qual registou índices bastante positivos com um crescimento recorde em algumas áreas, quer no quarto trimestre quer globalmente no ano de 2004.

Jorma Ollila, presidente e CEO da empresa, refere que «2004 foi um ano recorde já que a Nokia atingiu 207.7 milhões de equipamentos móveis vendidos», acrescentando que, «o mercado de vendas de telemóveis registou, igualmente, um significativo aumento nos últimos três meses de 2004, impulsionado sobretudo pelos mercados da Ásia, China, Europa, Médio Oriente e África».

Aquele responsável sublinha que «no último trimestre de 2004, o recorde de vendas de equipamentos móveis, conjugado com uma certa estabilidade no preço médio de venda e com margens acima do esperado, superou as previsões do volume de vendas e EPS».

Quota de mercado de 32%

Segundo o presidente da Nokia, a quota de mercado de equipamentos móveis da marca finlandesa atingiu os 32%, num mercado global estimado em 643 milhões de unidades. No último trimestre de 2004, a Nokia conseguiu atingir 34% da quota de mercado (baseado num mercado global estimado em 194 milhões de unidades), em grande parte, devido ao aumento da quota de mercado nos principais mercados APAC (Ásia-Pacífico, China) e EMEA (Europa, Médio Oriente e África).

O EPS foi de 0,7 euros por acção.

Modelos mais vendidos

Jorma Ollila mostrou-se particularmente satisfeito com a comercialização do Nokia 6630 (que pode ver ao pormenor no nosso expositor clicando aqui), o mais recente smartphone 3G do fabricante, cuja comercialização se iniciou no 4º trimestre de 2004, afirmando que «mundialmente, mais de 30 operadores móveis inseriram o Nokia 6630 no seu portfólio de produtos 3G».

Por sua vez, «o Nokia 6230 (que pode ver no nosso expositor clicando aqui), foi o equipamento mais vendido na Europa Ocidental durante o 4º trimestre de 2004», disse ainda o presidente da empresa, destacando ainda que «dos 36 modelos lançados em 2004, a maioria tem câmara fotográfica incorporada e quase todos os modelos têm ecrã a cores. Introduzimos, igualmente, 10 equipamentos com formato em concha, além dos equipamentos desdobráveis e o smartphone Nokia 9300), para soluções empresariais».

De acordo com Jorma Ollila, «as vendas e os lucros da Nokia no 4º trimestre excederam as expectativas graças à política de preços praticados pelos operadores e a redução dos prazos de entrega dos equipamentos por parte da Nokia».

Paralelamente, para este responsável, «em 2004, na área de redes, aumentámos significativamente a nossa presença na Índia e na Rússia e conquistámos novos mercados no Médio Oriente e em África. No final do ano, a Nokia já era fornecedor de 28 das 63 redes 3G comercialmente lançadas em todo o mundo».

Jorma Ollila é peremptório ao afirmar que «2004 foi um ano muito exigente para a Nokia. Nesta perspectiva e em resposta ao mercado, definimos 5 áreas de prioridade para 2004: relação com o cliente, oferta de produtos, eficiência na área de R&D, optimização dos processos de logística e desenvolvimento de soluções end-to-end. Durante 2004, progredimos nestas áreas, por isso, consideramos estar em condições para enfrentar novos desafios».

Previsões para 2005

A Nokia prevê que o volume global de equipamentos vendidos durante 2005 aumente 10%. Nos mercados mais desenvolvidos, prevê um crescimento contínuo dos mesmos, sustentado pela venda de equipamentos de substituição e de upgrades, disponibilização de novas funcionalidades, serviços e câmaras; nos mercados em desenvolvimento através do aumento de assinantes; por fim, através do aumento da venda de equipamentos 3G, na segunda metade de 2005.

Em relação à área de redes, a Nokia conta em 2005 com o crescimento e expansão da cobertura de redes nos mercados em desenvolvimento, assim como a expansão da rede 2G e lançamento da rede 3G em mercados mais desenvolvidos.