Nova secção do Telemoveis.com: «Messaging»

«O nosso esforço é múltiplo: simultaneamente didáctico e desmistificador, fornecendo dicas concretas e tornando acessíveis a qualquer um os conhecimentos elementares capazes de ajudarem à compreensão das novas tendências e tecnologias e à formulação de juízos próprios e opções práticas…»

Este mesmíssimo esforço, acusando a responsabilidade da direcção, conheceu agora novo impulso com a reconversão da nossa antiga secção «SMS» em secção «Messaging».

Mais do que uma mudança de nome ou de um mero baptismo convencional, trata-se da confirmação de uma mudança de rumo.

No instante da sua inauguração, a secção «Messaging» inclui desde já três artigos absolutamente únicos e inéditos pelo seu teor, consagrados às temáticas vertentes do MMS; das novas utilizações dos serviços de SMS, nomeadamente para fins relacionais; e da própria análise do foro económico das tendências do mercado.

Como sempre no Telemoveis.com não nos interessa a prosa seca nem a tecnologia pela pura tecnologia ou o jargão pelo puro jargão. O nosso esforço é outro e múltiplo: simultaneamente didáctico e desmistificador, fornecendo dicas concretas e tornando acessíveis a qualquer um os conhecimentos básicos e elementares capazes de ajudarem à compreensão das novas tendências e «técnicas» – frequentemente obnubiladas pelo marketing e pela publicidade acríticos e meramente apologéticos- e à formulação de juízos e opções práticas por parte de cada leitor. Englobando resolutamente a compreensão dos fenómenos na sua dimensão pluridimensional.

Nesta mesma senda, compreendendo as necessidades de quem nos visita, preparamos o lançamento imediato de uma secção consagrada à temática «Java». Porque sabemos que é uma tecnologia fundamental na progressão imediata do sector e porque igualmente sentimos que, sendo uma «tecnologia», é muito mais do que isso: são novas facilidades, serviços e potencialidades que devem absolutamente ser esclarecidos, decompostos e explicados para que cada um entenda que benefícios pode retirar e o valor que lhe é criado e devido.

Será sempre este o novo compromisso: mais e melhor informação. De forma clara, prática e producente como, muito justificadamente, merecem todos os que de há muito nos acompanham.

Sem medo dos lugares comuns, temos a certeza de ter os melhores leitores do mundo! Seguramente a mais numerosa, activa e esclarecida comunidade virtual, conforme amplamente demonstrado pela profusão de discussões albergadas nos nossos fóruns e pelos comentários que, diariamente, nos são remetidos. Comunidade de que infinitamente nos orgulhamos e à qual estamos profundamente gratos. Para ela em breve teremos ainda mais novidades.

Novas secções e o nosso compromisso: mais e melhor informação

Os serviços de comunicações móveis são, na actualidade, provavelmente mais dinâmico e promissor sector no cômputo de toda a pletora das Tecnologias da Informação. Concorrência oblige e, num momento em que nas sociedades ditas «afluentes» as taxas de penetração roçam o impensável – 80 e mais porcento- para continuar a crescer é forçoso inovar.

Tentando replicar, desenvolvendo, os serviços elementarmente iniciados com as mensagens curtas de texto (vulgo SMS), fabricantes e operadores prometem elevar a tecnologia e os serviços nela assentes a novos padrões, tendo aprendido algo com os erros do passado, mormente com o flop relativo do WAP. O GPRS, em particular, e a taxação de dados em função do volume efectivamente usados ao invés do tempo da ligação inaugura e acompanha o lançamento crescente de uma multidão de novas funcionalidades.

A Internet móvel, o «messaging» latamente entendido, desde a forma mais afluente e badalada do MMS e da «novidade» da incorporação de imagens reais tiradas pelos próprios terminais, passando pelo E-mail e, a breve trecho, pelos clientes de ligação permanente dos telefones, tipo ICQ ou MSN, capitalizando para as redes móveis o sucesso dos serviços de «chat» popularizados na WWW e nos computadores, gerarão um tráfego de dados precioso para o aumento das receitas e o desagravamento dos encargos milionários entretanto assumidos pela indústria.

O ano que passou, 2001, cerca de 103 milhares de milhões de SMS foram enviadas mundialmente. No ano que agora finda, 2002, este número deverá ser elevado para 146 milhares de milhões, numa tendência crescente até 2006.

Nada mau para um serviço que nasceu como uma espécie de evolução, aparente pouco promissora, dos serviços de «paging». Só o ano passado, de facto, o «messaging» nas redes móveis gerou globalmente receitas que orçaram os 13,4 milhares de milhões de dólares.

A expectativa, porém, é ver este valor duplicado até 2006. Espécie de «annus mirabilis» de acordo com todas as projecções de mercado em que a terceira geração e os seus serviços estarão já implantados nos nossos hábitos.

Os operadores precisam de aumentar as receitas com os dados como de pão para a boca e, na expectativa mais pessimista, já em 2004 o MMS deverá ser capaz de gerar 8.3 milhares de milhões de dólares de receita. Receitas da comunicação utilizador a utilizador mas também, de forma crescente, da distribuição de conteúdos.

A nossa secção «Messaging» é o local de eleição para quem se queira manter informado sobre esta e outras problemáticas relacionadas.

Ligações relacionadas:

Secção Messaging

Artigos sobre Java