O meu telemóvel é mais caro que o teu!

Os terminais significam status e há quem desembolse 25 mil euros por um modelo de funções limitadas.

Ouro e prata como matéria-prima, a par de cerâmica e couro, compensam a ausência de câmara digital e ecrã a cores, entre outras limitações, conseguindo seduzir celebridades, milionários e executivos de sucesso. Mas é na Ásia que a Vertu tem o seu melhor mercado, desde há dois anos.

A empresa não revela quantos terminais vendeu já na região, mas sabe-se que as vendas praticamente duplicam todos os semestres. Os principais compradores estão na China, Singapura e Indonésia, onde o equipamento «é visto como um ícone de realização profissional», diz Eric Lee, director de vendas da Vertu para a região da Ásia e Pacífico.

O modelo mais caro da empresa (e do mundo!), o Signature, é feito de platina e custa 32 mil dólares, ou seja, cerca de 25 mil euros). Uma versão média, feita com ouro amarelo, é vendida por 18.500 dólares (15 mil euros), enquanto o modelo mais económico tem acabamentos em pele e custa uns meros 4.700 dólares (3.800 euros).

Com sede em Londres, a Vertu tem escritórios em Paris, Nova York, Singapura e Hong Kong. E vende os seus telemóveis em 20 países, incluindo Kuwait, Macau e Emirados Árabes Unidos.

Ao contrário do que seria de esperar, estes terminais não excedem em funcionalidades os habituais topos-de-gama de outras marcas e, nalguns casos, ficam até aquém, não deixando porém de contemplar funcionalidades como a agenda e o envio e recepção de mensagens escritas.

Para conhecer melhor os modelos, veja no nosso expositor as características do Vertu MMII Stainless, do Vertu MMII Gold e do Vertu MMII Platinum. E para saber mais sobre a Vertu clique aqui.