Oferta móvel tem falta de novidades

Um estudo apresentado na Comtec aconselha os operadores a satisfazerem as necessidades dos clientes.

O estudo, que a consultora divulgará na próxima semana mas que foi parcialmente revelado na Comtec – feira das novas tecnologias e telecomunicações que decorre até sábado na FIL – sugere um conjunto de aplicações e directrizes que contribuam para que os operadores correspondam melhor às necessidades e aos gostos dos clientes.

O documento revela que os factores críticos para a definição de estratégias dos operadores móveis europeus, nomeadamente a introdução de novas tecnologias disponíveis, têm muitas vezes pouco impacto junto dos utilizadores que valorizam outro tipo de aspectos.

Segundo o estudo, que foi realizado junto dos principais operadores europeus e complementado com entrevistas a 1.500 utilizadores de redes móveis, 44% dos inquiridos aceitaria desistir de serviços inovadores como o WAP se, em contrapartida, pudessem usufruir de preços mais baixos e cerca de 72% não consideram importantes as tecnologias avançadas.

A Cap Gemini conclui que, para a maioria dos utilizadores, tornaram-se imperceptíveis as diferenças entre operadores já que a generalidade aposta nos mesmos factores para definir as suas ofertas. Além disso, um número significativo de inquiridos reclamam ofertas e planos tarifários mais simples.

Face aos dados, a consultora considera urgente trabalhar em novas aplicações que acentuem os factores diferenciadores ao mesmo tempo que respondam às necessidades dos clientes. Entre as sugestões, contam-se ainda aplicações que auxiliem na localização de crianças, que permitam ouvir música, etc.