OniWay inicia processo contra Optimus e Vodafone

Ao mesmo tempo que a Sonae tenta seduzir a EDP para fusão da Novis com a Oni.

A OniWay, parte do grupo Oni, controlado pela EDP pede assim uma indemnização de 46 milhões de euros por uma situação que se arrasta desde Setembro de 2001, quando pediu pela primeira vez a interligação à concorrência. Recorde-se que a OniWay detêm uma das quatro licenças UMTS nacionais mas, entretanto, dado o atraso do lançamento da nova geração, solicitou e obteve permissão para começar a operar com a tecnologia GSM/GPRS. Porém, o único operador que assinou um acordo com a OniWay foi a TMN, enquanto as demais ainda não tornaram possível aos potenciais clientes Oniway efectuarem chamadas tendo como destinatários clientes Vodafone ou Optimus. No início de Maio a Anacom, entidade reguladora, tentou concertar posições. Porém, sem sucesso. O processo civil agora iniciado pela OniWay sucede ao mesmo tempo que o Estado se pronunciou em princípio favorável à proposta de acordo de concentração avançada unilateralmente pela Sonae à EDP para uma possível fusão da Novis com a Oni.