Oniway por dias

Como se costuma dizer, ou vai ou racha. A interligação da Oniway com a Vodafone e a Optimus pode estar por horas.

A notícia hoje publicada no “Diário Económico” sobre o atraso no arranque da comercialização dos serviços da Oniway é sintomática. A operadora móvel da EDP queixa-se dos custos mensais do seu projecto, orçados em cerca de 10 milhões de euros (2 milhões de contos por mês, no velho escudo!), sem que possa atenuar a despesa com a receita corrente proveniente da facturação mensal das comunicações.

Segundo conta aquele diário, a Oniway contava ter lançado já no dia 8 de Maio a sua oferta comercial de rede GPRS, nomeadamente produtos MMS. No entanto, a falta de interligação com a Vodafone e a Optimus reduzia o universo de utilizadores, pelo que seria comercialmente inviável lançar uma nova operadora só com ligação à TMN e à rede fixa PT.

Colocado este cenário (que, aliás, não trouxe nada de novo…), resta saber o que irá acontecer, independentemente da interligação estar para breve ou não. Com base nos custos mensais estimados, a Oniway apresentou queixa contra a Vodafone e a Optimus no Tribunal da Comarca de Lisboa e pediu uma indemnização de 46 milhões de euros (9 milhões e 200 mil contos), mais os 10 milhões de euros por cada mês que a Oniway estiver inactiva. Um processo que promete escaldar o já quente sector das telecomunicações móveis nacionais.