Optimus aumenta 6,1% as receitas

Mas Sonaecom tem prejuízos.

Em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sonaecom refere que «esta quebra nos resultados explica-se pelo aumento de 13% da rubrica depreciações e amortizações, de 32,4 milhões de euros em 2006 para 36,6 milhões em 2007, como resultado do aumento da base dos activos, nomeadamente da rede UMTS/HSDPA da Optimus e da capilaridade da rede da Sonaecom Fixo».

A holding liderada por Paulo Azevedo refere ainda o aumento de custos financeiros relacionados com os empréstimos contratados no âmbito da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela Sonaecom sobre a PT e a PT Multimédia no início de Fevereiro de 2006, que contribuiu para o resultado líquido negativo.

Paralelamente, a Sonaecom registou neste período um crescimento no volume de negócios de 4,5% face ao período homólogo do ano passado, para os 198,9 milhões de euros.

Este aumento deveu-se, sobretudo, à boa performance da Sonaecom Fixo, que aumentou as suas receitas em 21,5% face ao primeiro trimestre de 2006, e ao aumento das receitas da Optimus, tendo o acréscimo de receitas de clientes, que se situou em mais 6,1%, mais do que compensado a quebra de receitas devido à descida de preços de terminação impostos pelo regulador, originando um impacto negativo de 4,8 milhões de euros.