Philips 355

Direccionado para o segmento jovem, a Philips aposta com este modelo nas possibilidades do «Mobile Fun» e em especial nos toques polifónicos, introduzindo a novidade do software «BeDJ»…

Philips 355CARACTERÍSTICAS
Ecrã:
65536 cores c/ resolução de 128×128 pixéis
Dimensões: 106 x 46 x 17 mm para um vol. de 71cc e um peso de 82 g.
Câmara : CIF de 100K pixéis (resolução 320×240) com zoom digital 2X
Multimédia : Melodias polifónicas 32 tons (c/ alerta vibratório)
Java : Conforme as especificações MIDP 2.0
Messaging : SMS, EMS, MMS, E-mail, WAP 1.2.1
Memória : 1,5 MB, 300 entradas na agenda e 30 registos de chamadas
Redes : Dualband 800/1900 GSM c/ GPRS classe 10 (4+2)
Acessórios incluídos : Carregador e fio para o pescoço
Acessórios adicionais : Kit de dados (cabo USB de ligação a PC e software), kit automóvel, Deluxe headset
Bateria : Lítio 720 mAh, reclama até 400 horas em repouso

O melhor: Mobile Fun e opções de personalização; o conforto no manuseamento
O pior:
O ecrã, em especial aquando da tiragem de fotos
Conclusão: Adequado ao segmento jovem

Anunciado internacionalmente no passado mês de Fevereiro, o Philips 355 insere-se na gama de «entrada» da multinacional baseada na Holanda. O que lhe falta em «conectibilidade» (irDa, bluetooth.) é compensado por uma forte aposta no «mobile fun» (toques, melodias, imagens e a possibilidade de correr jogos graças ao Java). Trata-se de um telefone direccionado para um público jovem que, de outro modo, também se mostrará naturalmente pouco propenso a despender as somas necessárias para usar as funcionalidades de que o segmento «executivo» sentirá falta…

Câmara Fotográfica & Ecrã

O 355 vem com uma câmara 1:2.5 de 2mm e com zoom digital 2X. As resoluções disponíveis vão de 128×128 até um máximo de 320×240 pixéis (meio VGA), passando pela dimensão intermédia de 160×120. Como opções para aquisição de fotos temos a alternância entre os modos normal, «Preto&Branco», «Azul» e «Sépia» e, no tocante à luminosidade, a opção por um «Modo Nocturno». Um «Temporizador» e uma opção genérica para ajuste da luz completam as possibilidades.

Trata-se, portanto, de uma câmara de resolução modesta, virada essencialmente para a composição de MMS telefone-a-telefone e que encontra o seu principal óbice na qualidade da imagem exibida aquando da aquisição.

Por seu lado, o ecrã ostenta uma resolução de 128×128 pixéis em 65536 cores e 120DPI. Tem alguma propensão para o «esbatimento da cor» que, não obstante, acaba por funcionar bem face à gama de imagens e à tonalidade dos menus, com uma agradável propensão para os tons «pastel». Aliás, o modelo caracteriza-se pela sua forte «luminosidade», reforçada pela forma como os botões são retro iluminados.

Quanto à memória, o telefone tem uma capacidade de armazenamento de 1,5 MB, partilhados entre as diversas funções.

«Conectibilidade»

O Philips 355 não é, por definição, fornecido com qualquer forma de conexão aos demais dispositivos, além da própria rede GSM. Para esse efeito, a única maneira de o fazer comunicar com um PC (além do envio indirecto do E-mail) é através de um kit, adquirível como «acessório», composto por um cabo USB e por um CD-Rom com software.

Trata-se de um dos aspectos mais «frugais» do modelo que, não obstante, é dotado de GPRS, Java MIDP 2.0, WAP 1.2.1, MMS, EMS e SMS..

Ergonomia, Software e Design

A Philips continua a aposta que mantém desde há tempos nos contornos «arredondados.» O resultado são modelos que «assentam » na mão de forma delicada e muitíssimo agradável ao tacto.

No caso do 355 o design é ainda favorecido pelas teclas, em forma de favo, iluminadas por uma luz intensa que lhe confere um efeito quase hipnótico (o telefone está disponível em quatro cores: azul turquesa, branco, negro e antracite).

De resto, a simplicidade é a nota dominante com um (louvável) joystick (4 direcções mais uma função em profundidade) e 10 teclas numéricas a que acrescem os «*» e «#»; duas teclas para acesso directo aos MMS e para bloqueio; mais um par adicional: para atendimento/acesso ao registo de chamadas e para ligar/desligar. Lateralmente, não são oferecidas quaisquer teclas.

Quanto ao software, o menu disponível é o já clássico «carrossel», característico da marca, com as opções principais: «Acertos», «Mensagens», «Multimédia», «Jogos e aplicações» , « Informação de Chamada», «Agenda Telefónica» e «Serviços do Operador».

Alguma lentidão, notória na navegação entre menus, prejudica uma interface de outro modo escorreita.

Para facilitar a vida do utilizador, o telefone suporta comandos e marcação por voz a par de atalhos personalizáveis para determinadas teclas de função.

O princípio geral de navegação seguido no manuseamento das aplicações conjuga o joystick com as teclas «*»-«0»-«#». A princípio estranha-se mas, uma vez apreendido, torna-se simples de usar.

Mobile Fun & Personalização

É na área do dito «mobile fun» que o 355 «brilha», com «hi-fi» e as suas melodias polifónicas em 32 tons (cerca de uma vintena pré-incluídas), servidas por uma boa qualidade de reprodução e assistidas por um «Equalizador» a par da novidade do software de composição de melodias «BeDJ».

O «BeDJ» consiste fundamentalmente em nove pistas nas quais o utilizador pode optar por definir determinados ritmos, controlando o tempo e o volume de modo a compor toques personalizados de elevada complexidade que pode posteriormente partilhar com os amigos, via MMS.

Para o efeito, o marketing da Philips socorreu-se de e mantém uma iniciativa inédita ao convidar 5 conhecidos DJs europeus (Cox, Picotto, Kleinenberg, Killer e Liebing) para criar faixas exclusivas que o utilizador pode transferir, via WAP ou MMS, e misturar no telefone, sendo mensalmente lançadas novidades.

A personalização do Philips é adicionalmente garantida por um «álbum de imagens» de vulto, susceptíveis de serem usadas como ambiente de fundo etc. e nos MMS.

As possibilidades do Java 2.0 ficavam, no modelo a que tivemos acesso, «em aberto» (à descarga), dado o que o número de jogos incluídos era restrito e se limitava a dois, um dos quais («Jogo do tijolo») fora desta tecnologia.

A opção Fotocall, por seu lado, permite associar uma foto a uma número, vendo quem está chamar.

Bateria & Acessórios

Para a bateria de lítio 720 mAh a Philips reclama até 400 horas em repouso e 4 horas em conversação. Valor optimista. Não obstante, constatámos empiricamente a durabilidade da alimentação eléctrica, a qual – dependendo obviamente das utilizações – se presta bem a durar 3-4 dias.

No plano dos acessórios, confirmando a aposta no segmento jovem, o 355 vem com um pouco vulgar cordão para o pendurar ao pescoço.

Como acessório adicional destaca-se, nomeadamente, pela utilidade, o kit para ligação USB, incluindo o cabo e software para transferência de dados, envio e recepção de SMS, Fax e E-mail, bem como navegação na Internet.

Conclusão

Em Portugal, há altura da redacção deste artigo, o 355 está disponível por 139,90 Euros no operador TMN, valor ligeiramente mais elevado do que o praticado por alguns operadores estrangeiros. Trata-se de um telefone definitivamente capaz de «tirar do sério» um adolescente, podendo ainda agradar aqueles que, não abdicando da «comodidade» do MMS, do GPRS, do Java e de um visor colorido, se contentam em ter uma câmara despretensiosa num modelo com um design cativante. No fundo, um modelo «para o mundo real», com os funcionalidades fundamentais para o estrato a que se direcciona. Utilizadores mais «exigentes» sentirão a falta do irDa e ou do bluetooth e ficarão naturalmente melhor servidos pelos modelos das séries mais elevadas da Philips (500, 600, 800).