Philips Azalis 288

Modelo de gama média mas elevado quilate.

Num momento em que, de um estrito ponto de vista tecnológico, os telefones tendem à uniformidade e a prestações bastante similares e tendencialmente igualmente satisfatórias em termos práticos, o elemento “usabilidade” é cada vez mais uma mais-valia – e a Philips entendeu-o brilhantemente neste modelo. Philips Azalis 288

O que imediatamente mais atrai no Philips Azalis 288, admitimo-lo, é o design e a disposição ergonómica e funcional das teclas e do sistema de menus – pese embora a antena saliente ser um elemento destoante e já algo desusado.

Philips Azalis 288. Visto de perfil Aliando de forma harmónica um conjunto de elementos metálicos, plásticos e borrachas o Azalis 288 é um telefone elegante nos seus gradientes cinzentos e de azul eléctrico; com um botão estilo “jog dial” centralizado que reúne quatro funções. Ladeando-o estão os clássicos botões para iniciar e terminar chamadas e, um pouco abaixo, uma tecla especial que permite o acesso directo às funções WAP e outra para acesso aos menus.

Os menus, eles mesmos, revelam-se extremamente agradavéis com uma organização estilo “carossel” rolante, capaz de mostrar até 5 ícones de função em simultâneo. A organização das funções, em si, é também coerente q.b. e a associação ideográfica facilita muito a orientação de quem pela primeira vez toma contacto com o telefone.

Mas o Philips Azalis 288 não prima só pela “usabilidade”. A qualidade sonora e de recepção, um peso de apenas 99 gramas e sobretudo um conjunto raro de funcionalidades a nível dos comandos por voz constituem alguns bons trunfos mais.

Assim, em especial, é de destacar que através da utilização de tecnologias de reconhecimento de voz, em que a Philips crescentemente se vem afirmando, o telefone permite marcar até 10 números de telefone através da vocalização do nome do destinatário, podendo ainda gravar curtos memos de voz (até 17 segundos).

Philips Azalis 288. Pormenor da ligação da bateria. No tocante ao “Mobile Fun” o 288 está também bem apetrechado. No domínio do SMS, em particular, inclui a escrita predictiva T9 com um sistema de digitação numa linha de comandos que torna mais fácil as correcções em caso de engano bem como a possibilidade de incluir nas mensagens icones de um catálogo de cerca de 50 à escolha. Também permite ter 10 mensagens mais comuns pré-gravadas para economia de tempo.

Relativamente às melodias o telefone oferece um “compositor”, sendo ainda possível descarregar gratuitamente melodias da página da Philips.

As “utilidades” adicionais estendem-se a um conversor de Euros (especialmente útil nos tempos que se avizinham), alarme, agenda e um jogo (Bricks).

Pela banda do “hardware” é ainda de louvar a longa autonomia do modelo (bateria Li-ion 550mAh), com tempos em standby, reclamados pela Philips, no limite, a cairem na casa das 350 horas e até 4 horas em conversação.

Philips Azalis 288. Com a cobertura removida. O Philips Azalis 288 é pois, globalmente, e pela relação qualidade preço – trata-se de um modelo de gama média – uma aposta interessante, levemente beliscada apenas pela impossibilidade de utilizar um kit mãos livres.

Em Portugal o modelo ainda não está à venda e o Telemoveis.com também não consegiu apurar uma data precisa de disponibilização. No entanto é de crer que o modelo venha a ser, nas próximas semanas,integrado nos pacotes de algum operador – de preferência a ser vendido autónomamente.