Pornografia móvel

A pornografia na internet já é um assunto vulgar e falado demais e, pelos vistos, em sistema WAP também não é novidade.

A pornografia na internet já é um assunto vulgar e falado demais e, pelos vistos, em sistema WAP também não é novidade. Segundo os relatos do site WAP.com, a distribuição de material pornográfico através de telemóvel não é novidade nenhuma. Todas as semanas, os responsáveis do referido endereço recebem dezenas de moradas onde os utilizadores de telefones móveis podem consultar os mais diversos conteúdos. Para provar que a oportunidade de negócio está sempre à espreita, não se pense que a manutenção e direcção deste tipo de sites está ao cargo de interesseiros e oportunistas. Há, pelo menos, um caso paradigmático do volume de negócios que um site como este deve trazer: a empresa Private.com, cotada em bolsa no Nasdaq, é uma das que figura entre as mais célebres companhias do negócio da pornografia envolvida no assunto. Mais, com a vinda dos telemóveis de terceira geração, e as suas potencialidades que permitem ao utilizador consultar, a cores, pequenos filmes multimédia, será muito mais fácil para este tipo de negócio crescer…a olhos vistos. É óbvio que os operadores, de um modo geral, nem se importam com este tipo de acessos. São pagos por fora, pelo utilizador, gerando receitas extra tanto para os fornecedores de conteúdos, como para as próprias empresas de telecomunicações móveis. Apesar de se saber que a Private.com vai lançar, oficialmente, este serviço wireless no próximo mês, em Cannes, o lançamento está envolto num enorme secretismo. Não se sabe muito bem porquê pois, tal como anunciou a WAP.com, vai-se tratar pura e simplesmente de “gente nua em actividades sexuais”. Só faltava isto no telemóvel.