Pré-selecção automática das chamadas locais gera polémica em França

Associações de consumidores insatisfeitas com a falta de transparência.

Os consumidores franceses estão globalmente satisfeitos com o serviço de comunicações fixas que lhe é prestado ou, pelo menos, têm muito mais razões de queixa das comunicações móveis. A conclusão retira-se do facto de a Associação Francesa dos Utilizadores de Telecomunicações (AFUT) receber 80% do volume total de queixas relativamente aos serviços móveis e apenas 20% relativas aos serviços fixos e de acesso à internet.

Quem o revela é o Le Monde, que acrescenta, não obstante, erguer-se um problema com o início da liberalização da escolha de operadores para efectuaras as chamas locais na rede fixa, no próximo dia 1 de Janeiro: é que, segundo a lei, um operador que já tenha sido pré-seleccionado para as demais chamadas pode fazer o redireccionamento do tráfego local mediante o mero envio de um par de carta de aviso ao consumidor.

Neste momento já existem em França dois milhões de lares com chamadas pré-seleccionadas para os operadores concorrentes do incumbente local e as associações de consumidores estão em polvorosa: acham que a mudança da pré-selecção das chamadas locais devia obrigar á manifestação explícita de vontade por parte do utente.