Preços dos SMS e MMS vão descer

Um estudo levado a cabo pela Ovum concluiu que nos próximos cinco anos o custo das mensagens vai cair drasticamente.

A diferença dos SMS e dos MMS para o Instant Messaging é que este último se baseia na quantidade de datos enviados e não no número de mensagens. Mesmo com as actuais tarifas GPRS, que são de facto elevadas, a Ovum conclui que o serviço de Instant Messaging parece ser mais prático, e está a angariar cada vez mais adeptos. O Instant Messaging pode de facto tornar-se um perigo para as receitas das operadoras, a quem os autores do relatório aconselham a redução do preço dos SMS e MMS, por forma a poderem fazer uma concorrência eficaz. O estudo conclui ainda que por volta de 2008 serão enviados 2 biliões de mensagens através dos telemóveis, embora as receitas possam vir a descrescer, sobretudo na Europa Ocidental, de cerca de 12 mil milhões de euros em 2006 para 10 mil milhões em 2008. Para travar este decréscimo, os gestores deverão ajustar rapidamente os serviços de Instant Messaging às tarifas de SMS e MMS, ou operar uma revolução ao nível dos preços de todos os serviços, através de um decréscimo considerável do preço médio por mensagem.