Prémio Multimedia XXI: conhecidos os vencedores

Enquanto o ministro da Ciência apela à produção de conteúdos…

Foram ontem revelados os vencedores da edição deste ano dos Prémio Multimedia XXI , estabelecidos pela APDC para destacar os trabalhos em quatro áreas de produção de conteúdos multi-meios.

À empresa Corpium foi atribuído o prémio da categoria “Educação, Formação e Cultura”, pelo sua «Sala de Mecânica Virtual», um curso destinado à formação de motoristas que está a conhecer boa aceitação internacional.

O Site Nick da Mind Software, por seu lado, recebeu a distinção Cidadania e Democracia. A página destina-se à prevenção rodoviária junto do público mais jovem.

A Porto Editora e o seu site Webbomm foram galardoados com o Prémio Comércio Electrónico e Suporte às PMEs.

O trofeu especial Multimédia XXI – Jovem foi entregue ao trabalho «Homem: Noma Kan Djan – Arte em Moçambique» de Carlos Cabral Nunes. Trata-se de um CDROM que apresenta os artistas mais representativos da Arte Contemporânea de Moçambique.

O mesmo autor, Carlos Cabral Nunes, recebeu também a distinção Grande Prémio Multimédia XXI, atribuída ao melhor de entre os premiados nas diversas categorias.

Mariano Gago apela às parcerias de conteúdos

Coexistindo com a cerimónia de entrega dos prémios Multimedia XXI, decorreu também ao final da tarde de ontem na FIL a sessão de encerramento da conferência do mesmo nome com a presença do ministro da Ciência e Tecnologia, Mariano Gago, que apelou à criação de parcerias entre a administração pública e a iniciativa privada, para o desenvolvimento de conteúdos específicos de multimédia.

O governante deu a área de formação profissional como exemplo de um sector onde podem ser concretizadas parcerias, nomeadamente, através de projectos de ensino à distância.

Mariano Gago afirmou que “houve um grande progresso nos conteúdos” para Internet e novos meios, como a televisão interactiva, mas que se chegou ao fim de uma primeira fase, que terá de “ser substituída por outra”.

“Não basta fazer reciclagem de conteúdos”, disse, explicando que esta primeira fase na produção de conteúdos foi concretizada “com base no que estava feito”.

“O multimédia tem de ser mais do que um suporte” mas um meio, com conteúdos feitos especificamente para si, defendeu o ministro. “Precisa-se de criadores para o novo meio”, afirmou, garantindo que a distinção entre grupos de multimédia será feita com base na capacidade de cada um para criar conteúdos específicos para os novos meios.

Respondendo às críticas feitas de algum atraso no desenvolvimento da sociedade da informação, Mariano Gago sustentou que “as coisas em Portugal estão a andar bem” e que tem havido uma “evolução rápida”. No entanto, identificou problemas, como os preços elevados das linhas dedicadas e das ligações internacionais, assim como o atraso na introdução da tecnologia ADSL.

Exposição Multimedia XXI continua até domingo

Entregues os prémios e realizada a conferência, o evento Multimedia XXI continua a oferecer na FIL, no Parque das Nações, em Lisboa, uma exposição temática subordinada às novas tecnologias. Hoje e amanhã decorre ainda um ciclo de workshops.