Skip to main content

PT apresenta resultados

Foi hoje que a Portugal Telecom apresentou os seus resultados auditados relativos ao exercício de 2000.

A Portugal Telecom divulgou hoje os resultados relativos ao exercício de 2000.

A Portugal Telecom continuou a apresentar um forte crescimento das receitas. As Receitas de Exploração, consolidadas proporcionalmente no que se refere à Telesp Celular (TCP), aumentaram 31,0% para 4.237 milhões de Euros.

O EBITDA , considerando a TCP consolidada proporcionalmente, registou um acréscimo de 6,5% para 1.591 milhões de Euros.

O Resultado Líquido Consolidado atingiu os 540,3 milhões de Euros, um crescimento de 9,2% face a 1999, correspondendo a um Resultado Líquido por Acção de 45 cêntimos de Euro.

A PT tinha no final do ano mais de 13,4 milhões de clientes, dos quais 55% nos negócios móveis.

A PT respondeu eficazmente à liberalização do mercado doméstico, tendo perdido menos de 2% de volume de tráfego em acesso indirecto.

O tráfego originado na rede fixa aumentou 16% e o tráfego telefónico por acesso/dia 13%, situando-se nos 10,7 minutos. O tráfego de acesso à internet já representou 34% do tráfego total originado.

A PT conseguiu manter uma estrutura financeira sólida na sequência do aumento de capital realizado em Dezembro de 2000 e do recente refinanciamento da dívida de curto prazo. O gearing (Dívida Líquida / (Dívida Líquida + Capital Próprio)) considerando a TCP consolidada proporcionalmente situou-se em 44,8% e a cobertura dos juros pelo EBITDA considerando a TCP foi superior a 7 vezes.

O número de trabalhadores ao serviço nos negócios de telefonia fixa foi reduzido em 2.255 efectivos, cerca de 17%, aumentando o número de acessos telefónicos fixos por trabalhador para 390, significativamente acima da média europeia.

O investimento em imobilizado corpóreo e incorpóreo, excluindo goodwill (capex), considerando a TCP consolidada proporcionalmente, situou-se em 26% das receitas, face a 28% em 1999. O investimento nos negócios de telefonia fixa reduziu-se em 30%, gerando um elevado cash flow que foi investido na modernização das infra-estruturas e no investimento em novos negócios com fortes potencialidades de crescimento futuro.

Apresentam-se no quadro seguinte os principais indicadores financeiros da Portugal Telecom para o exercício de 2000:

DADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS

(valores em milhões Euros, excepto )

 

2000

1999

%

 

Integral

Proporcional

Proporcional

Proporcional

Receitas de Exploração

5.195,3

4.236,7

3.232,9

31,0

Proveitos Operacionais

5.330,7

4.372,2

3.355,1

30,3

Custos Operacionais

4.450,2

3.595,5

2.501,0

43,8

EBITDA (1)

1.885,7

1.590,9

1.493,6

6,5

Resultados Operacionais

880,5

776,7

854,0

(9,1)

Resultados Financeiros e Extraordinários

(114,3)

(80,7)

(123,3)

34,5

Resultado Líquido

540,3

540,3

494,7

9,2

Margens (%)

 

 

 

 

Margem Líquida (2)

10,4

12,8

15,3

(2,5 p.p.)

Margem EBITDA(3)

36,3

37,6

46,2

(8,6 p.p.)

 EBITDA/Juros Líquidos (n º de vezes)

7,3

7,3

9,0

A consolidação proporcional da TCP corresponde a um interesse económico de 13,92% em 1999 e de 41,23% em 2000.

(1) EBITDA = Resultados Operacionais + Amortizações.

(2) Margem Líquida = Resultado Consolidado Líquido / Receitas Consolidadas de Exploração

(3) Margem EBITDA = EBITDA / Receitas Consolidadas de Exploração.

A PT detém de 41,23% interesse económico e 85% dos direitos de voto da Telesp Celular Participações (TCP). Até 31 de Dezembro de 1999, procedeu-se à consolidação proporcional da TCP. Devido ao aumento do interesse económico na TCP de 13,92% para 41.23%, a PT passou a consolidar integralmente a TCP desde 1 de Janeiro de 2000. Contudo, de forma a assegurar a consistência com as anteriores apresentações de resultados, procede-se neste documento a uma análise dos resultados com base na consolidação proporcional da TCP com um interesse económico de 13,92% em 1999 e de 41,23% em Dezembro de 2000.