PT Comunicações oferece telefones especiais

Surdos do Hospital Egas Moniz já podem «falar» ao telefone, através de um teclado.

No culminar de um protocolo com o Hospital Egas Moniz e a Faculdade de Ciências Médicas, a PT Comunicações ofereceu ontem telefones especialmente destinados a surdos. Uma centena de doentes acompanhados em consulta no Egas Moniz poderão a partir agora telefonar… teclando.

O gesto “de solidariedade” aconteceu no termo de um curso em que os eleitos aprenderam a trabalhar com os novos telefones _ que contam com um teclado e que também podem ser utilizados como um telefone normal. Em última instância, se em todas as casas houvesse um aparelho destes, em vez de um telefone normal, qualquer surdo poderia comunicar tanto com um ouvinte normal (que, no entanto, teria de responder recorrendo ao teclado…) como, naturalmente, com um outro surdo.

A entrega dos novos telefones foi o culminar do projecto “Solidariedade Natal PT99”.

Para o efeito, a PT teve de adaptar os telefones para o nosso país e encontrar uma entidade que os representasse e garantisse a sua manutenção.

Machado Fernandes, da PT, referiu a necessidade de “promover e facilitar o acesso à comunicação” por parte dos surdos. Adelino Oliveira, presidente da Federação das Associações de Surdos, agradeceu e disse que já era chegada a hora.

A chegada destes telefones ao mercado coincide, de algum modo, com o lançamento de outros serviços da PT destinados a clientes com necessidades especiais. Um exemplo é o serviço “118 Braille”, que permite aos invisuais aceder gratuitamente aos serviços informativos, de um telefone privado ou de uma cabina pública.