PT equaciona estratégia para Moçambique

Participação no concurso para atribuição de uma licença GSM é uma possibilidade em aberto até dia 8 de Dezembro…

Em entrevista a Francisco Sena Santos, esta manhã na RDP Antena 1, Murteira Nabo, presidente da Portugal Telecom confirmou o interesse da empresa em marcar presença no sector das telecomunicações móveis em todos os mercados lusofalantes. Para já, resta, por conseguinte à empresa penetrar em Moçambique e em Timor.

No país presidido por Joaquim Chissano está neste momento e até dia 8 de Dezembro aberto o prazo para a apresentação de candidatura por parte dos interessados na atribuição de duas licenças para exploração da rede móvel.

A PT já é parceira da TDM (Telecomunicações de Moçambique – não confundir com a companhia macaense). Pode optar por esperar e participar no capital da empresa local, que já opera no sector, ou preferir lançar-se por conta própria.

Neste momento estará, por conseguinte, a ponderar o caderno de encargos do concurso moçambicano. Exigente se pensarmos que exige que, num prazo de 5 anos, todas as populações com mais de cinco mil habitantes estejam cobertas, aspecto que, dada a pobreza e baixo poder de compra do país, dos mais pobres do Mundo, é de rentabilidade muito questionável.

Com ou sem PT, o resultado do concurso deverá ser conhecido em vésperas de Natal.