Quanto é que a Microsoft ganha com o Android?

Se aguentar até 2017, a Microsof poderá ganhar valores acima dos 6 mil milhões de dólares por ano só à custa do sucesso do Android.

Que a Microsoft ganha dinheiro com o Android já não é novidade nenhuma. De facto, a empresa liderada por Steve Ballmer tem sido conhecida por manter uma postura amigável em relação às empresas que utilizam as suas patentes, tendo chegado a vários acordos para licenciamento de patentes – postura essa que se revela lucrativa para a gigante norte-americana.

Nomes como a Samsung, LG e HTC, entre outros, pagam à Microsoft uma percentagem por cada smartphone Android vendido, valores que se estimam ser bastante superiores aos lucros que a empresa gera com o seu próprio sistema operativo para smartphones.

Quanto é que a Microsoft ganha com o Android?

Mas quanto é que será que a Microsoft gera em lucros com o Android? Segundo a DigitalTrends, a Microsoft gera em média 8 dólares – valores variáveis – por cada smartphone Android vendido, o que significa que só este ano deverá gerar lucros na ordem dos 3.4 mil milhões de dólares – ou seja, à medida que as vendas do Android aumentam exponencialmente, a Microsoft também sai a ganhar com isso. Mas o melhor parece ainda estar por vir.

Segundo o PhoneArena, estima-se que em 2017 sejam vendidos 1.5 mil milhões de dispositivos Android em todo o mundo – isto significa que se a Microsoft receber direitos de pelo menos metade dos dispositivos vendidos em todo o mundo nesse ano, que os lucros obtidos poderiam ser equivalentes a cerca de 5.9 mil milhões de dólares. Não é despropositado calcular que estes lucros poderão ainda aumentar se tivermos em conta que a própria Microsoft afirma receber royalties da maioria das fabricantes de smartphones Android em todo o mundo, o que se equivalesse a pelo menos 75% dos dispositivos vendidos – uma percentagem deveras significativa – então traduzir-se-ia em lucros de aproximadamente 8.8 mil milhões de dólares.

Importa sublinhar que estes valores associados a 2017 são meramente especulativos, já que se desconhece ao certo o número de fabricantes de smartphones Android a quem a Microsoft licenciou patentes suas.