Receitas são o desafio

As dificuldades económicas prendem a atenção dos operadores móveis.

Falando no jantar-debate da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), Pieter Knook assinalou que as receitas podem crescer ou pelo aumento do número de clientes ou por acréscimo do ARPU (receita média por cliente).

Para fazer crescer o ARPU, «fala-se muito do aumento das receitas de dados, mas que tipo de dados, SMS, banda larga, mas quais os serviços sobre a banda larga», interrogou aquele vice-presidente da Microsoft.

Pieter Knook defende que há uma miríade de oportunidades, afirmando que o Windows Mobile (software da Microsoft para dispositivos móveis) proporciona fácil acesso ao correio electrónico, dados empresariais e outros, mas há também aplicações de produtividade, jogos, música e toques, serviços de voz sobre Internet (VoIP), serviços de localização, integração dos telemóveis nos veículos.

Pieter Knook acrescentou que os telefones móveis podem significar para os clientes particulares um largo espectro de novas aplicações e serviços para chegar a um novo nível de convergência das tecnologias da informação, das comunicações e do entretenimento. Por isso, defende que os telemóveis inteligentes (smartphones) são críticos para os operadores móveis porque são uma oportunidade para apresentar novos serviços que, simultaneamente, diferenciem os operadores, permitindo captar novos clientes, e conduzam ao aumento da receita por cliente.

Aquele vice-presidente da Microsoft manifestou-se convicto de que o mais importante desenvolvimento técnico singular da última década, tão importante como a proliferação da Internet, terão sido os serviços Internet XML, sublinhando que se passou do HTML, que permite difundir grande quantidade de dados pela rede, para o XML, que está a tornar o mundo da Internet programável.

O XML (Extensible Markup Language) tem como principal objectivo compartilhar informações na Internet, permitindo separar o conteúdo do formato, a legibilidade por máquinas, a criação de arquivos de validação da estrutura (para garantir a autenticidade dos dados) e a interligação de diferentes bases de dados.

Knook salientou que o XML permite desenvolver novas formas de utilização da Internet e novos serviços e apontou que as principais companhias de tecnologias da informação apostam e investem neste standard.