Rob Conway responde a Darrell Issa

O CEO da GSM Association comentou em carta aberta as preocupações do congressista californiano manifestadas em carta a Donald Rumsfeld sobre a possível adopção do standard GSM no Iraque.

O que poderá ler em seguida é a tradução da resposta do CEO da GSM Association, Rob Conway, à carta enviada por Issa ao Secretário da Defesa, Donald Rumsfeld: Resposta de Rob Conway, CEO da GSM Association, à carta do congressista californiano Darrell Issa enviada ao ilustre Donald Rumsfeld, Secretário da Defesa dos Estados Unidos.A opinião do congressista californiano Darrell Issa de que o GSM é um ‘standard francês desactualizado’ é simultaneamente inoportuna e mal informada. O momento apropriado para se debater a tecnologia será quando o conflito real estiver terminado. E nessa altura deveremos levar em conta os factos reais, não a opinião imprudente do congressista. Sugerir que o GSM é somente um standard Europeu ou Francês é, no clima actual, chocante. – GSM significa “Global System for Mobile Communications” e os seus utilizadores podem percorrer o mundo com o mesmo telefone, usando o mesmo número. – O GSM é usado por cerca de um bilião de consumidores, e em todos os continentes, contando com 550 operadores em 193 países. – O GSM é um standard mundial que conta com 72 por cento do mercado de wireless digital. – O GSM é um ‘standard aberto’, o que significa que qualquer fabricante de qualquer país pode fabricar terminais – incluindo empresas americanas como a Motorola, Lucent e a Nortel. Entre os fabricantes mundiais que apoiam este standard encontram-se a Nokia, Samsung, Panasonic, NEC, Ericsson e muitos outros. – A maioria dos operadores americanos oferece serviços GSM, como por exemplo a AT&T Wireless, Cingular Wireless, T-Mobile USA. – O GSM já está implantado em todos os países do mundo árabe. O CDMA não está implantado em nenhum. – O GSM foi instalado no Afeganistão após a guerra por uma empresa americana (TSI de Nova Iorque), depois de ultrapassados todos os processos normais. Actualmente existem mais de 20 países árabes com redes GSM e cerca de 60 milhões de utilizadores na região. O Iraque, claro, esteve sob as sanções impostas pelas Nações Unidas e por isso não foi autorizada a adquirir este tipo de tecnologia. Daí que, a sugestão que a tecnologia CDMA seja instalada no Iraque do pós-guerra está completamente em desacordo com o resto da região e do mundo. Não acredito que alguém tenha começado este debate nesta altura, e certamente não acredito que tenha começado de um pressuposto tão falso e em termos tão nacionalistas.